El desarrollo del turismo rural como estrategia de reconversión en el Brejo de Paraíba

Autores/as

DOI:

https://doi.org/10.25145/j.pasos.2021.19.032

Resumen

Este artículo está dirigido a discutir el proceso de reconversión social de manos agrícolas en pequeños empresarios en el Brejo de Paraíba y a identificar la relación entre este fenómeno y el desarrollo del turismo en el municipio de Areia. La cuestión se plantea debido al momento de inflexión en las circunstancias de los colonos agrícolas coincidente con el surgimiento del turismo como actividad económica estimulada por las políticas de desarrollo en el Nordeste de Brasil. La investigación cualitativa llevada a cabo entre 2015 y 2016 permitió obtener los valiosos datos etnográficos aquí incluidos. Los datos secundarios, obtenidos mediante la investigación documental y la revisión bibliográfica, complementan el análisis. La discusión de los resultados contempla la historia de la evolución de los trabajadores agrícolas de la comunidad de Chã de Jardim desde la segunda mitad del siglo XX hasta la actualidad, en el contexto más amplio de la amplia y profunda transformación del mundo rural. Los resultados y las conclusiones muestran que la reconversión de los trabajadores agrícolas depende de un cambio de valores, con trabajadores más jóvenes y más educados que adoptan el discurso del emprendimiento y persiguen sus "sueños" de forma pragmática. También se constató que el desarrollo del turismo es decisivo para la "reconversión productiva" del propio territorio rural, que deja de ser percibido sólo como agrícola y se convierte en un espacio de ocio y entretenimiento, situación que consolida su percepción como complementario del territorio urbano.

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Biografía del autor/a

Oliveira Ribeiro Josilene, Maria José Ribeiro de Oliveira e José Luiz de Oliveira

Doutora em Sociologia pela Universidade Federal de Pernambuco e em Socio-Anthropologie pela Université Franche-Comté (França); professora da Universidade Federal da Paraíba.

Citas

ALMEIDA, A. A. 1994. Brejo paraibano: contribuição par ao inventário do patrimônio cultural. João Pessoa: Secretaria de Educação e Cultura, Departamento de Produção Gráfica.

ALMEIDA, H. 1980. Brejo de Areia. 2ed. João Pessoa: Editora Universitária/UFPB.

ALVES, E. P. M. 2017. O consumo da tradição e a fruição do “inautêntico”: cultura e mercado nas festas-espetáculo do ciclo juninos no Nordeste. Revista de Ciências Sociais. Fortaleza, v.48, n. 1, p.208-244, jan./jul. Disponível em: <http://www.periodicos.ufc.br/revcienso/article/view/18886/29617> Acesso em: 20 jun. 2017.

BARBOSA, Aloizio Lima. 2016. A Concórdia do Sucesso: O sentido da ação para pessoas do meio empreendedor – ensejos de uma inscrição moral. 149 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia) Universidade Federal de Pernambuco, 2016. Disponível em: 25 Maio, 2017.

BOURDIEU, P. 2007 [1979]. A Distinção – crítica social do julgamento. São Paulo: Edusp; Zouk.

BOURDIEU, P. 1996 [1994]. Razões práticas: Sobre a teoria da ação. Tradução: Mariza Correa - Campinas, SP: Papirus.

BRAMANTE, L., MAGLIO, F. N. & ROQUE, A. M. 2012. Um mistério a ser desvendado: panorama do turismo rural brasileiro, políticas públicas e dinâmica rural. In: ATAS DO

VIII CITURDES. 25-27 de junho de 2012. UTAD, Chaves, Portugal. Disponível em: <http://www.pasosonline.org/Publicados/pasosoedita/pasosrep7.pdf> Acesso em: 5 out. 2012.

BRASIL. Ministério do Turismo. 2010. Turismo rural: orientações básicas. Secretaria Nacional de Políticas de Turismo, Departamento de Estruturação, Articulação e Ordenamento Turístico, Coordenação Geral de Segmentação. 2.ed – Brasília: Ministério do Turismo. Disponível em: <http://www.turismo.gov.br/sites/default/turismo/o_ministerio/publicacoes> Acesso em: 17 ago. 2017.

BRASIL. Ministério do Turismo; Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas; Associação de Culturas Gerais. 2011. Manual para o desenvolvimento e integração de atividades turísticas com foco na produção associada. Brasília: Ministério do Turismo. Disponível em: Acesso em: 03 fev. 2016.

CAMACHO, Vania Claudia da Gama. 2013 O Ensino de Piano na Paraíba: memórias, lugares e práticas musicais (1945 - 1985). 2013. 278 f. Tese (Doutorado em Educação). Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa.

CARNEIRO, M. J. (coord.). 2012. Ruralidades Contemporâneas: modos de viver e pensar o rural na sociedade brasileira. Rio de Janeiro: Mauad X: FAPERJ.

COSTA, Sylvio de Sousa Gadelha. 2009. Governamentalidade neoliberal, Teoria do Capital Humano e Empreendedorismo. Educação e Realidade. 34(2): 171-186 mai/ago 2009. Disponível em: <http://www.seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/viewFile/8299/5537> Acesso em: 04 mar. 2018.

COSTA, Alessandra Mello da; BARROS, Denise Franca; CARVALHO, José Luis Felicio. 2011. A dimensão histórica dos discursos acerca do empreendedor e do empreendedorismo. Revista Administração Contemporânea. [online]. V.15, n.2, pp.179-197. Disponível em: < http://dx.doi.org/10.1590/S1415-65552011000200002 > Acesso em: 05 mar. 2018.

CUNHA, L. H. 2009. Sobre o conceito de reconversão. In: I Seminário do Projeto Políticas Públicas - Reconversões produtivas e recomposições identitárias no nordeste brasileiro: um olhar a partir do mundo rural e de suas conexões com o urbano, Campina Grande, UFCG.

DUARTE, T. 2009. A possibilidade da investigação a 3: reflexões sobre triangulação (metodológica). In: CIES e-WORKING PAPER N. º 60/2009. Disponível em: https://repositorio.iscte-iul.pt/bitstream/10071/1319/3/CIES-WP60%20_Duarte.pdf Acesso em: 18 set. 2017.

EMPRESA PARAIBANA DE TURISMO - PBTur. 2016. Relatório do Fluxo Global. João Pessoa.

FIÚZA, A. F., et al. 1998. Uma história de Areia. João Pessoa: Editora Universitária /UFPB.

FONTANELLA, F. I. 2005. A Estética do Brega: cultura de consumo e o corpo nas periferias do Recife. 2005. 112f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) Universidade Federal de Pernambuco. Disponível em: <http://repositorio.ufpe.br/bitstream/handle/123456789/3455.pdf> Acesso em: 17 jan. 2018.

FÓRUM REGIONAL DE TURISMO SUSTENTÁVEL DO BREJO PARAIBANO - FRTSB-PB. 2010. Estatuto Social. Bananeiras.

GALVÃO, S. F. S. 2012. Interfaces cultural, política e organizacional do projeto “Caminhos do Frio – Rota Cultural” no contexto da regionalização do turismo no brejo paraibano. 2012. 214f. Dissertação (Mestrado) Natal: Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Disponível em: <http://bdtd.bczm.ufrn.br/tde_arquivos/44/4805/Publico/SueniaFSG_DISSERT.pdf > Acesso em: 25 fev. 2017.

GARCIA Jr. A. R. 1993. Reconversion des élites agraires. [Du pouvoir local au pouvoir national]. Études rurales. n°131-132. Droit, politique, espace agraire au Brésil. pp. 89-105. Disponível em: <https://etudesrurales.revues.org/1223> Acesso em: 13 abr. 2017.

GARCIA Jr. A. R. 1989. O Sul, Caminho do roçado: estratégias de reprodução camponesa e transformação social. São Paulo: Marco Zero.

GIULIANI, G. M. 1990. Neo-ruralismo: o novo estilo dos velhos modelos. RBCS/ANPOCS, n. 14, ano 5.

GOVERNO DO ESTADO DA PARAÍBA. 2014. Secretaria do Turismo e do Desenvolvimento Econômico. Caminhos do Frio: Perfil do Turista Areia – comparativo 2011, 2012, 2013 e 2014. Empresa Paraibana de Turismo, João Pessoa.

HEREDIA, B. M. A. 1979. A morada da vida: trabalho familiar de pequenos produtores do Nordeste do Brasil. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

HEREDIA, B. M. A. 1989. Formas de dominação e espaço social: a modernização da agroindústria canavieira em Alagoas. São Paulo: Marco Zero.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. 2015. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios: Síntese de indicadores. Disponível em: <https://ww2.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/pnad2012/default_sintese.shtm> Acesso em: 07 jul. 2017.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA -IBGE Cidades. 2020. Censo Agropecuário: Dados Areia. Rio de Janeiro, 2017. Disponível em: < https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pb/areia/panorama> Acesso em: 22 outubro. 2020.

INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL- IPHAN. 2009. O festival de artes – Areia - PB. Brasília, DF: Iphan / Programa Monumenta.

MAGALHÃES, A. 2009. Socialização do Espaço Urbano: como um festival de artes interferiu na relação indivíduo/cotidiano na cidade de Areia, Brejo paraibano, na década de 70. 2009. 128f. Dissertação (Mestrado em Sociologia). Universidade Federal da Paraíba: João Pessoa. Disponível em: <http://tede.biblioteca.ufpb.br/tede/1/arquivototal.pdf> Acesso em: 20 mar. 2017.

MARQUES, A. L., ARAÚJO, D. C. & DINIZ, L.S. 2016. Novo Rural Brasileiro nos Brejos do Estado da Paraíba. Revista GeoTemas. Pau dos Ferros, Rio Grande do Norte, Brasil, v.6, n.2, p.47-58, Jul./Dez.

MENEZES, M., MALAGODI, E., & MOREIRA, E. R. 2013. Da usina ao assentamento: os dilemas da reconversão produtiva no Brejo Paraibano. Estud. Soc. e Agric., Rio de Janeiro, v. 21, n. 2, pp. 332-358.

MOREIRA, E., & TARGINO, I. 1997. Capítulos de Geografia Agrária da Paraíba. João Pessoa: Editora Universitária/ UFPB.

OLIVEIRA, Josilene Ribeiro de. 2018. “Do sítio sim, besta não!”: reciprocidade, dons e lutas simbólicas em jogo no turismo em Areia, Paraíba-Brasil. 583 f. (Tese de doutorado em Sociologia) Universidade Federal de Pernambuco.

OLIVEIRA, Josilene Ribeiro de. 2018. Trabalho e Produção Associada ao Turismo: tensões e rupturas no processo de construção da identidade de mulheres na Comunidade Rural Chã de Jardim. Norus – Novos Rumos Sociológicos, v. v.6, n.9, p. 161-201.

SANCHO, Federico. 2010. Agricultural and rural entrepreneurship: concepts for modeling development. Comuniica. Year 5. Janaury – July, 2010. Disponível em: <http://repiica.iica.int/docs/b2032i/b2032i.pdf> Acesso em: 30 jul. 2017.

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS – SEBRAE. 2014. Territórios da Cidadania: Riquezas de um novo Brasil. Brasília-DF. Disponível em: <http://www.bibliotecas.sebrae.com.br/chronus/ARQUIVOS_CHRONUS/bds/bds.nsf/90860905e4c63a1dff070b05b396f0d1/$File/5182.pdf> Acesso em: 30 jul. 2017.

SIGAUD, L. 1979. Os clandestinos e os direitos: estudo sobre trabalhadores da cana-de-açúcar de Pernambuco. São Paulo, Livraria Duas Cidades.

SIGAUD, L. 1996. Direito e Coerção Moral no Mundo dos Engenhos. Revista Estudos Históricos. V. 9, n. 18. P. 361-388.

SILVA, L. 2009. Casas de Campo: Etnografia do Turismo Rural em Portugal. Lisboa: ICS.

SOARES, T. 2017. Ninguém é perfeito e a vida é assim”: a música brega em Pernambuco. 1. ed. Recife/PE: Outros Críticos.

WANDERLEY, M. N. B. 2003. Agricultura familiar e campesinato: rupturas e continuidades. Estudos Sociedade e Agricultura, Rio de Janeiro, n.21, p. 42-61, out. Disponível em: <https://wp.ufpel.edu.br/leaa/files/2014/06/Texto-6.pdf> Acesso em: 15 mai. 2013.

WANDERLEY, M. N. B.& FAVARETO, A. 2013. A singularidade do Rural Brasileiro: implicações para as tipologias territoriais e a elaboração de políticas públicas. In: MIRANDA, C. & SILVA, H. (Orgs.). 2013. Concepções da Ruralidade Contemporânea: as singularidades brasileiras. Brasília: IICA. (Série Desenvolvimento Rural Sustentável; v.21).

WOORTMANN, K. 1990. Migração, família e campesinato. Revista Brasileira de Estudos de População (Campinas), v.7, n.1, p.35-53. Disponível em: < https://www.rebep.org.br/revista/article/view/546> Acesso em 22 fev. 2017.

WOORTMANN, E. F. 1983. O Sítio Camponês. Anuário Antropológico/81. Edições Tempo Brasileiro. Rio de Janeiro.

YÚDICE, George. 2002. El Recurso de la Cultura: Usos de la cultura en la era global. Editorial Gedisa: Barcelona.

Publicado

2021-07-13

Cómo citar

Josilene, O. R. (2021). El desarrollo del turismo rural como estrategia de reconversión en el Brejo de Paraíba . PASOS Revista De Turismo Y Patrimonio Cultural, 19(3), 495-508. https://doi.org/10.25145/j.pasos.2021.19.032