Turismo arqueológico en los sitios precoloniales de rio grande do sul - brasil

Autores/as

DOI:

https://doi.org/10.25145/j.pasos.2020.18.033

Palabras clave:

patrimonio arqueológico, turismo arqueológico, pre-colonial, Rio Grande do Sul, Brasil

Resumen

Este artículo tiene como objetivo identificar las acciones de explotación turística de los sitios arqueológicos vinculados a las tradiciones precoloniales en Rio Grande do Sul (Brasil). Utilizando el enfoque cualitativo, presenta y discute datos empíricos y bibliográficos relacionados con el desarrollo de acciones turísticas en los sitios que forman parte de los itinerarios turísticos comercializados. El debate de los casos en cuestión indicó la importancia de la iniciativa privada y la mediación turística como consolidadores de las acciones. En Rio Grande do Sul, el turismo arqueológico se destaca en los sitios históricos, pero se ha promovido en algunos sitios precoloniales. El turismo arqueológico surge en Brasil como una posibilidad de extrovertir el patrimonio arqueológico y ha ido ganando atención en los principales centros arqueológicos del país.

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Citas

ALFONSO, L.P. 2012. Arqueologia e turismo: sustentabilidade e inclusão social. Tese de Doutorado. Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo, MAE/USP, São Paulo (SP).

BARRETO, M.2002. Manual de iniciação ao estudo do Turismo. São Paulo (SP): Papirus.

BASTOS, R. L. 2006. Arqueologia Pública e Gestão do Patrimônio Cultural In Revista Arkeos V. 16: 111-125. Acessado em 12.09.2018 Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=1431236.

BAZOTTI, L.S. 2012. Cronologia do turismo de aventura no Rio Grande do Sul. In Anais do IV Seminário de Pesquisa em Turismo do Mercosul (SeminTUR) 2008 Universidade de Caxias do Sul (UCS) Caxias do Sul (RS). Acessado em 10.07.2018. Disponível em https://www.ucs.br/ucs/eventos/seminarios_semintur/semin_tur_7/arquivos/06/04_23_54_Bazotti.pdf.

BEBER, M.V. 2004. O Sistema de Assentamento dos Grupos Ceramistas do Planalto Sul-Brasileiro: o caso da Tradição Taquara-Itararé. Tese de Doutorado. Universidade do Vale do Rio dos Sinos, UNISINOS, São Leopoldo (RS).

BISINELLA, C.A.D.R.2012. Por uma arqueologia fenomenológica: Experiências múltiplas em um lugar (sítio Ari Duarte I, Pinhal da Serra/RS). Tese de Doutorado, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, PUCRS, Porto Alegre (RS).

BUCHAIM, J. 1999. Estudos arqueológicos do abrigo RS-TQ-58, Montenegro, RS, Brasil. Dissertação de Mestrado, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, PUCRS, Porto Alegre (RS).

CHAMAS, C.A.P.C. 2008. A gestão de um patrimônio arqueológico e paisagístico: Ilha do Campeche/SC. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Florianópolis (SC).

COPÉ, S.M.(org). 2013. 12000 anos de história: arqueologia e pré-história do Rio Grande do Sul. Catálogo de exposição Museu da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, Porto Alegre (RS).

CORTELETTI, R. 2008. Patrimônio arqueológico de Caxias do Sul. Porto Alegre (RS): Nova Prata.

DIAS, A.S.2006. Relatório Final Projeto Arqueológico do Vale do Caí (PACA). Biênio 2004-2006. Porto Alegre (RS): Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

DIAS, A.S.; JACOBUS, A.L. 2000. Quão antigo é o povoamento do Sul do Brasil? In Taller Internacional de INQUA La Colonización del Sur de America durante la Transición Pleistoceno/Holoceno, Universidad Nacional de La Plata. Acessado em 15.06.2017. Disponível em <https://leiaufsc.files.wordpress.com/2013/03/4-3b-dias-a-s-jacobus-a-quc3a3o-antigo-c3a9-o-povoamento-do-sul-do-brasil.pdf>.

FERNANDES, D.L.; MENEZES, V.O.2010. Avaliação e Hierarquização dos Atrativos Turísticos de Irati-PR In Revista Capital Científico, V.7 n.1: 73-84. Acessado em 25.08.2018. Disponível em https://revistas.unicentro.br/index.php/capitalcientifico/article/view/716/1279

FERREIRA, D.A. 2013. O turismo arqueológico em debate: Diagnóstico do uso do patrimônio arqueológico no município de Carnaúba dos Dantas/ RN. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Pernambuco, UFPE, Recife (RN).

FETZNER, P.R. (19.09.2016). Sítio Arqueológico RS-TQ-58 [Facebook MasBah Turismo e Aventura]. Acessado em 25.08.2018. Disponível em https://www.facebook.com/pg/masbah.turismo/photos/?tab=album&album_id=1092651244082361

FILHO, R.C.O.; MONTEIRO, M.S.L. 2009. Ecoturismo no Parque Nacional Serra da Capivara: trata-se de uma prática sustentável? In Revista Turismo em Análise, V.20, n.2: 230-250. Acessado em 02.01.2018. Disponível em http://www.journals.usp.br/rta/article/view/14183/16001.

GOLDMEIER, V.A.; SCHMITZ, P.I. 1987. Os artefatos Líticos do Abrigo da Pedra Grande (RS-SM-07) In Arqueologia do Rio Grande do Sul, Brasil, São Leopoldo: Instituto Anchietano de Pesquisas, IAP.

GODOY, R. 2015. Arqueoturismo no Cerrado e na Amazônia: dois pedaços de um mesmo pote In Revista de Arqueologia Pública. V.9, n.2: 87-107. Acessado em 13.06.2017. Disponível em https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rap/article/view/8642870.

JACOBUS, A.L.; ROSA, A.O.2013. Antigos habitantes do quadrante patrulhense e os animais In Antropologia, N.70: 241-254, São Leopoldo (RS): Instituto Anchietano de Pesquisas (IAP).

KNEIP, L.M; CRANCIO, F.; FRANCISCO, B.H.R. 2017. O Sambaqui da beirada (Saquarema - Rio de Janeiro) In Revista de Arqueologia. V. 5, nº 1: 41-54. Acessado em 15.02.2018. Disponível em: http://www.revista.sabnet.com.br/revista/index.php/SAB/article/view/67.

LIMA, T.V.2005. Estudo das representações rupestres do Rio Grande do Sul / Brasil. Tese de Doutorado, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, PUCRS, Porto Alegre (RS).

LOPEZ, D.O.; MORENO, Y.C. 2018. Arqueoturismo ¿un fenomeno en auge? Reflexiones acerca del turismo arqueologico en la actualidad en España In Pasos El Sauzal. V.16, n.3: 599-615. Acessado em 02.10.2018. Disponível em http://www.pasosonline.org/Publicados/16318/PS318_04.pdf.

MACHADO, A.J.2008. Avançar, adaptar e permanecer: a tradição Tupiguarani no médio Rio das Antas. Dissertação de Mestrado, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, UNISINOS, São Leopoldo (RS).

MARCHETTE, T.D. 2016. Educação Patrimonial e políticas públicas de preservação no Brasil. Curitiba (PR): Intersaberes.

Ministério da Cultura do Brasil. Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).26.04.2016 Portaria 137/2016. Diário oficial da União n.81 – seção 1:6. Acessado em 13.04.2018. Disponível em http://portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/Portaria_n_137_de_28_de_abril_de_2016.pdf.

Ministério da Cultura do Brasil. Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). 26.03.2015 Instrução Normativa 01/2015. Diário Oficial da União n.58 – seção 1:11. Acessado em 12.04.2018. Disponível em http://portal.iphan.gov.br/uploads/legislacao/INSTRUCAO_NORMATIVA_001_DE_25_DE_MARCO_DE_2015.pdf.

Ministério do Turismo do Brasil. Secretaria Nacional de Políticas de Turismo, Departamento de Estruturação, Articulação e Ordenamento Turístico. 2010. Turismo Cultural: orientações básicas. Brasília: Ministério do Turismo.

Ministério do Turismo do Brasil. Secretaria Nacional de Políticas de Turismo, Departamento de Estruturação, Articulação e Ordenamento Turístico. 2007. Módulo operacional: Roteirização turística. Brasília: Ministério do Turismo.

MONTICELLI, G. et al 2005. Um sítio arqueológico inédito em Lavras do Sul/RS In Revista Textura. N.11: 5-10. Acessado em 10.06.2017. Disponível em http://www.periodicos.ulbra.br/index.php/txra/article/view/752.

MORAES, T.V. 2012. Breve análise sobre a arqueologia missioneira e as ações de extroversão (1980-1995) In Revista Tempos Acadêmicos - Dossiê Arqueologia Histórica, N.10: 164-171. Acessado em 15.06.2017. Disponível em http://periodicos.unesc.net/historia/article/view/1118/1077.

NOELLI, F.S. 2000. A ocupação humana na região Sul do Brasil: arqueologia, debates e perspectivas 1872-2000 In Revista da USP, N.44: 218-269. Acessado em 28.05.2017. Disponível em http://www.revistas.usp.br/revusp/article/view/29849/31735.

NÓBREGA, W.R.M.; ARAÚJO, F. 2015. Cultura, turismo e desenvolvimento: reflexões acerca do potencial arqueológico no município de Carnaúba dos Dantas (RN) In Revista Brasileira de Ecoturismo, V.8, n.1: 93-114. Acessado em 10.12.2017. Disponível em https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/19172.

OLIVEIRA, L.D. 2005. Síntese histórica do povoamento do Rio Grande do Sul In Etnoconhecimento e saúde dos povos indígenas do Rio Grande do Sul. Canoas (RS): ULBRA: 11-34.

OLIVEIRA, R.A. 2011. Memórias da ocupação indígena no estado do Rio de Janeiro: um estudo de caso do Museu de Arqueologia Sambaqui da Tarioba. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Rio de Janeiro (RJ).

RIBEIRO, P.A.M.; RIBEIRO, C.T. 1999. Escavações Arqueológicas no Sítio RS-TQ-58, Montenegro, RS, Brasil. Rio Grande: FURG.

ROSA, A.O. 2009. Análise Zooarqueológica do Sítio Garivaldino (RS-TQ-58) Município de Montenegro, RS. In Antropologia, N.67: 133-171. São Leopoldo (RS): Instituto Anchietano de Pesquisas (IAP). Acessado em 06.06.2017. Disponível em http://www.anchietano.unisinos.br/publicacoes/antropologia/antropologia67/Rosa.pdf.

ROSO, M.R.D.; ISAIA, L. 2006. Construção da Imagem Turística de São Pedro do Sul a partir de sua singular identidade patrimonial In Revista Sociais e Humanas da UFSM, V.19, n.2: 33-43. Acessado em 02.03.2018. Disponível em https://periodicos.ufsm.br/sociaisehumanas/article/view/1380/801.

SANTANNA, F.(20.06.2016) Pedra Grande. São Pedro do Sul [Blog Cenas Perdidas do RS]. Acessado em 30.05.2017. Disponível em http://cenasperdidas.blogspot.com/search/label/S%C3%A3o%20Pedro%20do%20Sul.RS.S%C3%ADtio%20Arqueol%C3%B3gico%20da%20Pedra%20Grande.

SCATAMACCHIA, M.C.M. 2005. Turismo e Arqueologia. São Paulo (SP): Aleph.

SCHMITZ, P.I. 1991. Pré-História do Rio Grande do Sul. São Leopoldo (RS): Instituto Anchietano de Pesquisas (IAP).

SILVA, A.F. 2010. Estratégias materiais e espacialidade: uma arqueologia da paisagem do Tropeirismo nos Campos de Cima da Serra. Jaguarão (RS): Fundação Universidade Federal do Pampa.

SOUZA, C.G.S. 2012. O Turismo Arqueológico na Preservação do Patrimônio Cultural: um estudo de caso dos sítios rupestres de Serranópolis – GO. Dissertação de Mestrado, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, IPHAN, Rio de Janeiro (RJ).

VELOSO, T.P.G. CAVALCANTI, J.E.A. 2007. O turismo em sítios arqueológicos: algumas modalidades de apresentação do patrimônio arqueológico In Revista de Arqueologia, N.20: 155-168. Acessado em 06.06.2017. Disponível em https://revista.sabnet.com.br/revista/index.php/SAB/article/view/232.

WAGNER, G.P.2009. Sambaquis da barreira da Itapeva uma perspectiva geoarqueológica. Tese de Doutorado, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, PUCRS, Porto Alegre (RS).

ZUSE, S. 2009. Os Guarani e a Redução Jesuítica: Tradição e mudança técnica na cadeia operatória de confecção dos artefatos cerâmicos do sítio da Pedra Grande e entorno. Dissertação de Mestrado, Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade Federal de São Paulo, MAE/USP, São Paulo (SP).

Descargas

Publicado

2020-07-16

Cómo citar

Schüler, T. G., Magalhães, M. L. ., & Weber, R. (2020). Turismo arqueológico en los sitios precoloniales de rio grande do sul - brasil. PASOS Revista De Turismo Y Patrimonio Cultural, 18(3), 473-488. https://doi.org/10.25145/j.pasos.2020.18.033