O empreendedorismo coletivo no contexto do turismo rural sustentável: uma experiência do Sul do Brasil

Autores/as

  • Carla Maria Schmidt
  • Marialva Tomio
  • Josmary Karoline Demko Alves
  • Flaviane Rossi

DOI:

https://doi.org/10.25145/j.pasos.2016.14.077

Palabras clave:

Empreendedorismo colectivo, Turismo sustentável, Turismo rural, Experiencia coletiva, Empreendimentos turisticos

Resumen

O empreendedorismo colectivo revelou-se fundamental para o turismo rural sustentável, facto que motivou o desenvolvimento deste estudo no estado do Paraná, região sul do Brasil, onde existe uma experiência colectiva em torno do turismo. Especificamente, este estudo procura:
a) compreender o processo de empreendedorismo colectivo desenvolvido entre empresas de turismo; e b) analisar os possíveis contributos do empreendedorismo colectivo para o fortalecimento dos empresários do turismo. Para o efeito, foi desenvolvido um estudo qualitativo de natureza descritiva. Os dados foram obtidos através de entrevistas com os gestores da iniciativa colectiva, e também a partir de dados secundários. Os principais resultados mostram que a experiência colectiva desenvolvida no Estado do Paraná em torno do turismo rural sustentável é uma iniciativa pioneira
para a região, sendo o empreendedorismo colectivo fundamental para desencadear este processo. Os ganhos são mais evidentes do que as dificuldades da iniciativa colectiva investigada.

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Biografía del autor/a

Carla Maria Schmidt

Marialva Tomio

Josmary Karoline Demko Alves

Flaviane Rossi

Citas

Abramovay, R. 2000. Funções e Medidas da Ruralidade no Desenvolvimento Contemporâneo. Rio de Janeiro: IPEA.

Almeida, M. G. de. 2010. Festas Rurais e Turismo em Territórios Emergentes. Revista Bibliográfica de Geografía y Ciencias Sociales. V. XV, n. 919, Universidad de Barcelona.

Amâncio, R.; Vale, G. M. e Wilkinson, J. 2005. Desbravando fronteiras: o empreendedor como artesão de redes e artífice do crescimento econômico. In: ENANPAD, 29, 2005, Brasília. Anais... Brasília: Enanpad.

Benevides, I. P. 2002. Para uma agenda de discussão do turismo como fator de desenvolvimento local. In: Rodrigues, A. B. (Org.) Turismo e desenvolvimento local. 3. ed. São Paulo: Hucitec.

Bregolin, M. 2012. Gestão Territorial de Espaços Rurais Turísticos na Microrregião Uva e Vinho da Serra Gaúcha, RS, Brasil. In: VIII CITRUDES – Congresso Internacional sobre Turismo Rural e Desenvolvimento Sustentável. Portugal.

Brito, C. M. 2001. Towards an institutional theory of the dynamics of industrial networks. Journal of Business & Industrial Marketing. v. 16(3): 150-166.

Candiotto, L. 2009. Considerações sobre o conceito de turismo sustentável. Revista Formação, n. 16, v. 1. Presidente Prudente, p. 48 – 59.

Schmidt, C. M. e Saes, M. S. M. 2008. Ações coletivas: desenvolvimento para arranjos produtivos inseridos no contexto do agronegócio e turismo rural. In: 46º Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural, 2008, Rio Branco, Anais... Rio Branco, 2008.

Claro, D. 2009. Managing trust in Supply Chains: identifying mechanisms to achieve performance. In: Zylbersztajn, D.; Omta, O. (Org.). Advances in Supply Chain Analysys in Agri-food systems. São Paulo: Singular, p.31-51.

Cope, J.; Jack, S. e Rose, M .B. 2007. Social Capital and Entrepreneurship: An Introduction. International Small Business Journal, v. 25, p, 213.

Dias, R. 2008. Turismo Sustentável e Meio Ambiente. São Paulo: Atlas.

Dolabela, F. 2003. Empreendedorismo, uma forma de ser: saiba o que são empreendedores individuais e empreendedores coletivos. Brasília: Aed.

Ésther, A.; Rodrigues, I. e Freire, E. 2012. A Identidade Empreendedora no Contexto de Empresas de Pequeno Porte. In: VII EGEPE, março de 2012, Florianópolis/SC, 2012. Anais..., Florianópolis/SC: EGEPE.

Filion, L. 2000. Empreendedorismo e gerenciamento: processos distintos, porém complementares. Revista de Administração de empresas. São Paulo, v.7, n.3, p.2-7.

Freitag, M. S. B. 2014. Aprendendo a ser um empreendedor. In: Borges, Cândido (Org.). Empreendedorismo sustentável. São Paulo: Saraiva.

Fukuyama, F. 2002. Capital Social. In: Harrison, L. E.; Huntington, S. P. A cultura importa. Rio de Janeiro: Record.

Fukuyama, F. 1996. Confiança: as virtudes sociais e a criação da prosperidade. Rio de Janeiro: Rocco.

Grandori, A. 2009. Contracts of society and firm-like organization. In: Annual Conference Of The International Society For New Institutional Economics, 13, 2009, Berkeley, Anais… Berkeley.

Granovetter, M. 1973. The strength of weak ties. American Journal of Sociology, University Chicago Press, Chicago, v. 78, Issue 6, p.1930-1938.

Hisrich, R. D.; Peters, M. P e Shepherd, D. A. 2009. Empreendedorismo. 7. ed. Porto Alegre: Bookman.

Lastres, H. M. M. e Cassiolato, J. E. 2005. Contribuição do PDACT para a melhoria das condições de competitividade da indústria brasileira. Disponível em: <http://www.mct.gov.br/publi/PADCT/lastres.pdf>. Acesso em: 24 out. 2005.

Lazzarini, S. G. et al. 2001. Integrating Supply Chain and Network Analysis: the study of netchains. Journal on Chain and Network Science. [S.l.], v. 1, n. 1, p. 7-21.

Lopez Júnior, G. S. e Lucas de Souza, E. C. 2006. Instrumento de Medida da Atitude Empreendedora - IMAE: Construção e Validação de uma Escala. In: Encontro da ANPAD , 30, 23 a 27 de Setembro Salvador/BA, 2006. Anais..., Salvador/ BA: EnANPAD.

Lundvall, B. 1997. National Systems of Innovation: Toward a Theory of Innovation and Interactive Learning. London: Pinter.

Magalhães, C. F. 2002. Diretrizes para o Turismo Sustentável em Municípios. São Paulo: Roca.

Martinez, J. M. 2004. Una visión dinámica sobre el emprendedurismo colectivo. Revista de Negócios, Blumenau, v.9, n.2, p.91-105.

Ménard, C. e Klein, P. G. 2004. Organizational issues in the agrifood sector: toward a comparative approach. American Journal of Agricultural Economics, 86(3): 750-755.

Ministério do Turismo – Mintur 2010. Turismo Rural: orientações básicas. 2.ed – Brasília.

Nassar, A. M. 2001. Eficiência das associações de interesse privado nos agronegócios brasileiros. 2001. 236 f. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo, São Paulo.

Olson, M. 1999. A Lógica da Ação Coletiva. Tradução Fabio Fernandes. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo.

Pasini, A. H. 2013. A ação coletiva como forma de agregação no sistema agroindustrial da aquicultura de Maripá – PR. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós Gradução em Desenvolvimento Regional e Agronegócio, Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Paraná.

Pinheiro, A. M. 2005. O cooperativismo do MST e a sustentabilidade no contexto da reforma agrária: o caso da Cooperativa de Produção Agropecuária dos Assentados de Charqueadas Ltda. Dissertação (mestrado) – Programa de pós-graduação em Administração. Universidade Federal de Santa Catarina, Santa Catarina.

Pires, P. S. 2002. Dimensões do ecoturismo. São Paulo: Editora Senac.

Plog, S. C. 2002. Por que a preservação do destino tem sentido econômico. Em: Theobald, Wiliam F. (Org.) – Turismo Global. São Paulo: Ed. Senac, 2002.

Reich, R. B. 1987. Entrepreneurship Reconsidered: The Team as Hero. Harvard Business Review, Boston, v.65, n.3, p.77-83, may/jun.

Reis, C.; Vavassori, M. 2013. Turismo rural em Blumenau (SC): perspectivas e desafios a partir da avaliação de famílias que acolhem visitantes em suas casas. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo. São Paulo, v.7, n.2, p. 209-219.

Ricci, F.; Sant’ana, R. 2009. Desenvolvimento turístico sustentável: o artesanato local como alternativa na cidade de Santo Antônio do Pinhal, SP. Revista Cultura e Turismo. Santa Cruz, ano 03, n. 01.

Sachs, I. 2003. Inclusão social pelo trabalho: desenvolvimento humano, trabalho decente e o futuro dos empreendedores de pequeno porte. Rio de Janeiro: Garamond.

Santos, F. S. dos. 2010. Momentos de empowerment: estratégias de pequenos produtores vinculados à agricultura familiar no Rio Grande do Sul. Dissertação (mestrado) – Programa de Pós Graduação em Administração. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2010.

Schneider, S. 2010. Situando o desenvolvimento rural no Brasil: o contexto e as questões em debate. Revista de Economia Política, vol. 30, nº 3, p. 511-531.

Schumpeter, J. 1982. A. Teoria do desenvolvimento econômico: uma investigação sobre lucros, capital, crédito, juro e o ciclo econômico. São Paulo: Abril Cultural.

Sebrae. 2013. Coleção Estudos e Pesquisas: Sobrevivência das Empresas no Brasil.

Storper, M. 1997. The regional world: territorial development in a global economy. Guilford Press: New York.

Tabosa, F. J. S. et al. 2009. A importância do capital social e da solidariedade para o desenvolvimento local: um estudo de caso. Disponível em: . Acesso: 29 set. 2009.

Tabosa, T. C.; Fernandes, N. C. e Paiva Júnior, F. 2010. O fenômeno empreendedor coletivo e humanizado: a produção e a comercialização do artesanato bonecas solidárias de Gravatá/PE no mercado doméstico. Revista de Negócios, Blumenau, v15, n.3, p11 – 28.

Tulik, O. 2010. Turismo e Desenvolvimento no Espaço Rural: Abordagens Conceituais e Tipologias. Em: Santos, Eurico de Oliveira y Souza, Marcelino de (Eds). Teoria e prática do Turismo no espaço rural. Barueri: Manole.

Uzzi, B. 1997. Social structure and competition in interfirm networks: the paradox of embeddedness. Administrative Science Quarterly. [S.l.], v 42, p.35-67.

Veiga, J. E. da. 2007. Mudanças nas relações entre espaços rurais e urbanos. In: Economia e Território no Brasil Contemporâneo. Org. PIQUET, Rosélia; OLIVEIRA, Elzira de. 2007.

Vieira Filho, N.; Araújo, J. G. 2010. Empreendedorismo e Turismo na Era do Conhecimento. Revista Global Turism. [s. l.], v. 6, n.1.

Zylbertsztajn, D. e Farina, E. 1999. Strictly Coordinated Food-Systems: exploring the limits of the Coasian Firm. International Food and Agribusiness Management Review, v. 2, n.2, p. 249 - 265.

Zylbersztajn, D. 2010. From Contracts to Networks: New Directions in the Study of Governance of Agro-Food-Energy Networks. In: 4TH European Forum on Systems Dynamics and Innovation in Food Networks, 2010, Innsbruck-Igls, Anais… Innsbruck-Igls.

Publicado

2016-10-22

Cómo citar

Schmidt, C. M., Tomio, M., Alves, J. K. D., & Rossi, F. (2016). O empreendedorismo coletivo no contexto do turismo rural sustentável: uma experiência do Sul do Brasil. PASOS Revista De Turismo Y Patrimonio Cultural, 14(5), 1161-1174. https://doi.org/10.25145/j.pasos.2016.14.077

Número

Sección

Artículos