Experiencia turística mediatizada: una concepción de noticiero de la televisión brasileña

la concepción de un telediario brasileño

Autores/as

DOI:

https://doi.org/10.25145/j.pasos.2020.18.043

Palabras clave:

Periodismo de turismo, turismo mediatizado, Rede Globo, Brasil, observación participante, análisis de contenido

Resumen

Este artículo tiene como objetivo comprender la perspectiva de la experiencia turística adoptada por el Jornal Hoje (JH) – Rede Globo en la sección Tô de Folga (TDF). En el texto se considera que la actividad turística se ha convertido en una importante fuerza inductora de los desplazamientos humanos en la contemporaneidad. En este sentido, analizamos uno de los principales telediarios brasileños, que mantiene un espacio exclusivo dedicado a viajes desde 2008. El proceso de investigación se realizó a partir de una muestra, seleccionando 44 reportajes y datos obtenidos por medio de la observación participante y del análisis de contenido. Además, la técnica de comparación. Los resultados de la investigación permiten constatar que destaca una concepción mercadológica, no en el sentido promocional, es decir, de vender el destino turístico con sus atractivos, experiencias y servicios, sino con el propósito de cautivar principalmente a quien asiste al telediario.

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Biografía del autor/a

Lauro Almeida de Moraes, Universidade Federal do Paraná

Professor na Faculdade de Comunicação (FAC) da Universidade de Brasília (UnB). Doutorando em Geografia na Universidade Federal do Paraná (UFPR). Mestre em Cultura e Turismo pela Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC). Bacharel em Comunicação Social - habilitações Jornalismo e Rádio e TV. Atua como jornalista há treze anos, com reportagens exibidas pela Rede Globo e publicadas pelo jornal O Estado de S. Paulo. Sócio da Intercom, integrando o GP Geografias da Comunicação. Editor da Revista Geografar - ISSN 1981-089X.

Citas

Alviano, W. 2009, 3 may. Tô de Folga. [Mensagem pessoal]. Message received by lauromoraes@redebahia. com.br.

Alviano, W. 2010, 9 nov.. Tô de Folga. [Mensagem pessoal]. Message received by lauromoraes@redebahia. com.br.

Andrade, D. S 2014. A comunicação governamental da presidente Dilma Rousseff: uma análise de conteúdo do portal da Presidência da República. Comunicação e Sociedade, 26, 191‑206.

Avighi, C. M. 1992. Turismo e comunicação: estudo do turismo na história da comunicação no séc. XIX.

Turismo em Análise, 3, 22‑33.

Banducci Júnior, A. & Barreto, M. (Orgs.). 2001. Turismo e identidade cultural: uma visão antropológica, Campinas: Papirus.

Barbeiro, H. & Lima, P. R. 2002. Manual de telejornalismo: o segredo da notícia na TV. Rio de Janeiro: Campus.

Bardin, L. 1977. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Bignami, R. 2002. A imagem do Brasil no turismo: construção, desafios e vantagem competitiva. São Paulo: Aleph.

Bosangit, C., Hibbert, S., & McCabe, S. 2015. ‘‘If I was going to die I should at least be having fun”: Travel blogs, meaning and tourist experience. Annals of Tourism Research, 55, pp. 1‑14.

Brandão, C. B. 2005. Jornalismo especializado em turismo: foco nas revistas “Horizonte Geográfico”, “Os Caminhos da Terra”, “Próxima Viagem” e “Viagem e Turismo”. In B. C. Castro; G. Alves; M.

C. S. Barbosa; A. F. A. Bragança & S. V. Moreira (Orgs.). Anais do XXVIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação (pp. 1‑15). São Paulo: Intercom.

Buonanno, M. 2004. Além da proximidade cultural: não contra a identidade, mas a favor da alteridade. Para uma nova teoria crítica dos fluxos televisivos internacionais. In M. I. Lopes, Telenovela: internacionalização e interculturalidade (pp. 331‑360). São Paulo: Loyola.

Camargo, P. 2009. Os impactos do turismo cultural. In P. Camargo & G. Cruz. Turismo cultural: estratégias, sustentabilidade e tendências (pp.69‑88). Ilhéus: Editus.

Carvalho, A. L. 2007. O turismo como produto da indústria cultural nas enunciações da mídia. In C. C Paiva, E. B. Barreto & V. S. Barreto (2007), Mídia & Culturalidades: análises de produtos, fazeres e interações (pp. 277‑297). João Pessoa: Universitária.

Carvalho, C. R. 2003. Jornalismo especializado em turismo: o gênero jornalístico e o mercado nos suplementos de turismo dos jornais Folha de S. Paulo e o Estado de S. Paulo. Master dissertation, University of São Paulo, São Paulo, Brazil.

Chizzoti, A. 1991. Pesquisa em ciências humanas e sociais. São Paulo: Cortez.

Connell, J. 2005. Toddlers, tourism and Tobermory: Destination marketing issues and television‑induced tourism. Tourism Management, 26, 763‑776.

Cramer, J. & Mcdevitt, M. 2004. Ethnographic journalism. In S. Iorio (Ed.), Qualitative research in journalism: taking it to the streets (pp. 127‑144). Lawrence Erlbaum, Mahwah.

Debord, G. 1997. A sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto.

Destination British Columbia. 2013. Travel Media Relations: The essential guide for BC tourism businesses on how to attract and host media. 3. ed. Victoria, British Columbia, Destination BC.

DGN 2015. Jornal Hoje. Acedido em http://comercial2.redeglobo.com.br/programacao/Pages/JornalHoje. aspx#/

Emerim, C. 2010. O texto na reportagem de televisão. In M. C., Barbosa, M. C. S. Barbosa; M. V. Gonçalves (Orgs.). Anais do XXXIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação (pp. 01‑15). São Paulo: Intercom.

Falco, D. 2011. Narrativas turísticas: imaginário e mídia na experiência urbana do turismo. Rosa dos Ventos, 3, 24‑38.

Falco, D. P.; Rodrigues, M. C. 2009. Uma jornada pela produção jornalística em suas interações com o turismo: reflexões sobre a revista Viagem & Turismo. In: Coutinho, I.; Leal, P. R. F. (Orgs.). Identidades midiáticas: memória e representação. Rio de Janeiro: E‑papers, pp. 43‑57.

Ferrari, M. H. & Sodré, M. 1986. Técnica de reportagem: notas sobre a narrativa jornalística. São Paulo: Summus.

Gândara, J. M., Mondo, T. S. 2017. O turismo experiencial a partir de uma perspectiva socioeconômica mercadológica. Revista de Análisis Turístico, 24, pp. 26‑40.

García Canclini, N. 2005. Consumidores e cidadãos: conflitos multiculturais da globalização. 5. ed. Rio de Janeiro, UFRJ.

Gastaldo, E. L.; Leistner, R. M.; Silva, R. T. & Mcginity, S. 2005. Futebol, mídia e sociabilidade: uma experiência etnográfica. Cadernos IHU Idéias, 43,1‑20.

Geertz, C. (1989). A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC.

Goldenberg, M. 1997. A arte de pesquisar: como fazer uma pesquisa qualitativa em Ciências Sociais.

Rio de Janeiro: Record.

Gomes, W. S. 1996. Duas premissas para a compreensão da política espetáculo. In A. F. Neto; M. J. Pinto (Orgs.), O indivíduo e as mídias (pp.30‑46). Rio de Janeiro: Diadorim.

Grünewald, R. A. 2015. Turismo na terra indígena Pataxó de Coroa Vermelha: imperialismo e pós

‑colonialidade na região do Descobrimento do Brasil. PASOS ‑ Revista de Turismo y Patrimonio Cultural, 13, 411‑424.

Hall, S.; Critcher, C., Jefferson, T., Clarke, J. & Roberts, B. 1993. A produção social das notícias: o muggin nos media. In N. Traquina (Org.), Jornalismo: questões, teorias e estórias (pp. 224‑262). Veja: Lisboa. Hjarvard, S. 2013. Midiatização: teorizando a mídia como agente de mudança social e cultural. Matrizes,

(2), pp. 53‑91.

Hjarvard, S. 2015. Da Mediação à Midiatização: a institucionalização das novas mídias. Parágrafo, 2(3), pp. 51‑62.

Innerarity, D. 2010. O novo espaço público. Lisboa: Texto Editores.

Kegler, J. Q. S. & Froehlich, J. M. 2011. Midiatização e identidade territorial: pressupostos teóricos para a análise das festividades e seus processos de mediação como construtores da identidade territorial no Brasil Meridional. Mediaciones Sociales, 8, 97‑124.

Kellner, D. 2001. A cultura da mídia. São Paulo: Edusc.

Kellner, D. 2003. A cultura da mídia e o triunfo do espetáculo. Líbero, 11, 4‑15.

Laville, C. & Dionne, J. (1999). A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Belo Horizonte: UFMG.

Leung, D., Law, R., Hoof, H., & Buhalis, D. 2013. Social Media in Tourism and Hospitality: A Literature Review. Journal of Travel & Tourism Marketing, 30(1‑2), pp. 3–22.

Marcon, S. S. & Elsen, I. 2000. Estudo qualitativo utilizando observação participante ‑ análise de uma experiência. Acta Scientiarum, 22, 637‑647.

Marconi, M. A. & Lakatos, E. M. 2001. Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Atlas.

Massierer, C. & Girardi, I. M. T. 2008. O peso da organização jornalística na construção das matérias de meio ambiente no Brasil, In G. Cimadevilla (Org.), Comunicación, tecnologia y desarrollo ‑ trayectorias (pp. 45‑58). Rio Cuarto: Universidad Nacional de Rio Cuarto.

Mcluhan, M. 1971. Os meios de comunicação como extensões do homem (3. ed ed.). São Paulo: Cultrix.

Melo, J. M. 2010. Gêneros jornalísticos: conhecimento brasileiro. In J. M. Melo & F. Assis, Gêneros jornalísticos no Brasil (pp. 23‑41). São Bernardo do Campo: Umesp.

Middleton, V. T. 2002. Marketing de turismo: teoria e prática. Rio de Janeiro: Campus.

Minayo, M. C. S. 2004. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa e em saúde. Hucitec, São Paulo. Moraes, L. A., & Gândara, J. M. 2016a. Midiatização e espetacularização do turismo. Turismo &

Sociedade, 9(1), pp. 1‑18.

Moraes, L. A., & Gândara, J. M. 2016b. Viajando através do Jornal Hoje: os destinos turísticos do “Tô de Folga”. Revista Fronteiras – estudos midiáticos, 18(2), pp. 208‑224.

Moraes, L. A., Gândara, J. M., & Cruz, G. 2015a. Turismo midiatizado: o que é notícia nos destinos turísticos apresentados pelo Jornal Hoje, da Rede Globo. Conexão (UCS), 14(27), pp. 47‑79.

Moraes, L. A., Cruz, G. & Gândara, J. M. 2015b. Tourism News: reflexões sobre construção da notícia e narrativa televisiva de destinos turísticos. Rosa dos Ventos,7(1), pp. 87‑103.

Moraes, L. A., Gândara, J. M & Silva, S. R. X. 2018. Geografia urbana setecentista e turismo: as praças de Mariana – Brasil sob a perspectiva experiencial. Pasos ‑ Revista de Turismo y Patrimonio Cultural, 16(4), pp. 971‑988.

Moraes, L.A. 2019. Cibercultura e Turismo: em busca do ethos e perfil dos blogs de viagem no Brasil.

Rosa dos Ventos – Turismo e Hospitalidade, 11(4), pp. 893‑907.

MTur 2008. Segmentação do turismo: orientações básicas. Brasília: MTur.

Musse, C. F. & Pernisa, M. B. (2011). Telejornalismo: novos formatos no cenário de crise da TV aberta.

Revista ALTERJOR, 1(3), pp. 1‑12.

Pimentel, M. R. & Castrogiovanni, A. C. 2015. Geografia e Turismo: em busca de uma interação complexa.

Rosa dos Ventos, 7(3), pp. 440‑458.

Pine II, J. & Gilmore, J. The experience economy. Boston: HBS Press, 1999.

Pulido‑Fernández, J. I. & Navarro Hermoso, Ú. 2014. Identificación de ítems para medir las experiências.

Cultur, 8, 4‑34.

Rejowski, M. 2010. Produção Científica em Turismo: análise de estudos referenciais no exterior. Turismo em Análise, 21(2), pp. 224‑246.

Rezende, G. J. 2000. Telejornalismo no Brasil. São Paulo: Summus.

Richards, G. 2009. Turismo cultural: padrões e implicações. In P. Camargo, & G. Cruz, Turismo cultural: estratégias, sustentabilidade e tendências (pp. 25‑48). Ilhéus: Editus.

Richards, G. 2017. Sharing the New Localities of Tourism. In: Dredge, D.; Gyimóthy, S. (Eds.), Collaborative Economy and Tourism: Perspectives, Politics, Policies and Prospects. Dordrecht, Springer, pp. 169‑184. Rocha, S. M. 2008. Análise de conteúdo articulada à análise de gênero televisivo: proposta metodológica para interpretação das representações nas narrativas mediáticas. revista Fronteiras – estudos

midiáticos, 10(2), pp. 121‑134.

Rodrigues, A. D. 1999. Comunicação e cultura: a experiência cultural na era da informação. Lisboa: Editorial Presença.

Rodrigues, A. D. 2003. A experiência técnica. Revista da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, 15, pp. 9‑33.

Rubim, A. A. C. 2005. Espetáculo. In A. A. C. Rubim (Org.), Cultura e atualidade (p.11‑28). Salvador: EDUFBA.

Santos, C. 2011. O simbolismo das marcas no discurso publicitário contemporâneo. O capital simbólico da YORN. Comunicação e Sociedade, 19, 215‑226.

Schlesinger, P. 1990. Rethinking the sociology of journalism: source strategies and the limits of media centrism. In M. Ferguson (Org.), Public communication: the new imperatives (pp. 61‑83). Sage Publications: London.

Sebrae 2010. Turismo no Brasil: termo de referência para a atuação do sistema Sebrae. Brasília: Sebrae.

Silva E.C.; Penteado, R.Z. (2014) Caracterização das inovações do telejornalismo e a expressividade dos apresentadores. Audiology ‑ Communication Research, 19(1), pp. 61‑68.

Simões, M. 2009. Identidade cultural e turismo: a literatura como agenciadora de trânsitos. In P. Camargo & G. Cruz (Orgs.), Turismo cultural: estratégias, sustentabilidade e tendências (pp. 49‑67). Ilhéus: Editus.

Spampinato, E. 2009. Turismo em favelas cariocas e desenvolvimento situado: a possibilidade do encontro em seis iniciativas comunitárias. Master dissertation, Federal University of Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brazil.

Standing, C., Tang‑Taye, J.‑P., & Boyer, M. 2014. The Impact of the Internet in Travel and Tourism: A Research Review 2001–2010. Journal of Travel & Tourism Marketing, 31(1), pp. 82–113.

Temer, A. C. 2002. Notícias e serviços: um estudo sobre o conteúdo dos telejornais da Rede Globo.

Comunicação & Sociedade, 37, 115‑134.

Thomaz, G. M.; Biz, A. A.; Bettoni, E. M. & Pavan, C. S. 2015. Modelo de monitoreo de las redes sociales para orientar en la toma de decisiones de las Destination Management Organizations. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, 9(2), pp. 196‑220.

Thompson, J. B. 1998. A mídia e a modernidade. Petrópolis: Vozes.

Traquina, N. 2005. Teorias do Jornalismo: porque as notícias são como são. Florianópolis: Insular. TVGI 2015. Institucional. Acedido em http://tvglobointernacional.globo.com/institucional.aspx/ Urry, J. 2001. O olhar do turista: lazer e viagens nas sociedades contemporâneas. São Paulo: Nobel.

Valduga, V.; Dartora, J. S. & Babinski, L. R. (2014). A cachaça e o turismo no território do vinho: Rio Grande do Sul (Brasil). Revista Hospitalidade, 11, 195‑222.

Valladares, L. 2007. Os dez mandamentos da observação participante. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 22(63), pp. 153‑155.

Vaz, G. N. 1999. Marketing turístico: receptivo e emissivo. São Paulo: Pioneira.

Wainberg, J. 2003. Turismo e Comunicação: a indústria da diferença. São Paulo: Contexto. Yúdice, G. 2006. A conveniência da cultura: usos da cultura na era global. Belo Horizonte: UFMG.

Publicado

2020-10-12

Cómo citar

Moraes, L. A. de. (2020). Experiencia turística mediatizada: una concepción de noticiero de la televisión brasileña: la concepción de un telediario brasileño. PASOS Revista De Turismo Y Patrimonio Cultural, 18(4), 597-614. https://doi.org/10.25145/j.pasos.2020.18.043

Artículos más leídos del mismo autor/a