Sabores, saberes e o desenvolvimento do ecoturismo na comunidade Mem de Sá, Itaporanga D’Ajuda, Estado de Sergipe

  • Jurema Nascimento Ribeiro Instituto Federal de Sergipe
  • Tamiles Santos Andrade Instituto Federal de Sergipe
  • Claudio Roberto Braghini Instituto Federal de Sergipe
Palabras clave: Gastronomía, Identidad Cultural, Ecoturismo, Comunidad

Resumen

Resumen: Este trabajo tiene como objetivo identificar las conexiones entre gastronomía, identidad cultural y ecoturismo en la comunidad Mem de Sá, ubicada en una isla fluvial en la Litoral Sur del Estado de Sergipe, que surge para la actividad turística. La metodología se basó en el diálogo previo con la comunidad, entrevistas con guión semi-estructurado e inventario de las delicias típicas. La gastronomía, incluidos los aspectos históricos, puede estimular el mantenimiento o re-significación de la identidad cultural por la propia comunidad, y también ser una herramienta del ecoturismo en la promoción de un desarrollo local. El ecoturismo como modelo de gestión del turismo que establece el compromiso con la comunidad Mem de Sá puede convertirse en una actividad complementaria, valorizando la evidente relación existente entre el modo de vida basado en la pesca, la cocina y el entorno natural con ríos y manglares. La articulación entre la empresa pública Embrapa tableros costeros, Instituto Federal de Sergipe y demás socios favorece ese enfoque del Ecoturismo.

Citas

Abril Coleções. 2009 Sergipe e Piauí/Editora Abril (Coleção Cozinha Regional Brasileira; v:17). São Paulo: Abril

Acosta, Elias Z. 2011 “Sobre patrimonio y desarrollo. Aproximacíon al concepto de patrimônio cultural y su utilización en procesos de desarrollo territorial”. Pasos. Revista de Turismo y Patrimonio Cultural, 9(1), p101‑113. ISSN 1695‑7121. Disponível na internet em: www.pasosonline.org/Publicados/.../ PS0111_09. Acesso em 10/03/2011.

Aragão, Miria C. O.; Curado, Fernando F.; Souza, Rosemeri M. 2010 “Relações socioambientais na comunidade pesqueira Mem de Sá, Sergipe”. Disponível na internet. http:// www.anppas.org.br/encontro5/ cd/.../GT12‑‑ 265‑20100830220543. pdf. Acesso em: 19 nov. 2010.

Aréyzaga, Eréndira M. 2011 “Entre la vocacíon turística y la devoción. Percepciones sociales del patrimonio cultural en un contexto turístico”. El caso de Malinalco, Estado do Mexico. Pasos. Revista de Turismo y Patrimonio Cultural, 9(1), p115‑127. ISSN 1695‑7121. Disponível na internet em : www. pasosonline.org/Publicados/.../PS0111_10. Acesso em 10/03/2011.

Bellini, Antônio. 2007 Paladar Brasileiro. São Paulo : AB ‑ Antonio Bellini editora & cultura.

Beni, Mário. 2006 Análise estrutural do turismo. 9 ed. São Paulo: Ed. Senac.

Brasil. Ministério do Turismo. 2008 Ecoturismo: orientações básicas. Ministério do Turismo, Secretaria Nacional de Políticas de Turismo, Departamento de Estruturação, Articulação e Ordenamento Turístico, Coordenação Geral de segmentação. Brasília: Ministério do Turismo.

Brasil. Ministério do Turismo. 2006 “Manual do Pesquisador” ‑ Inventário da Oferta Turística: instrumento de pesquisa/ Ministério do Turismo, Secretaria Nacional de Políticas de Turismo, Departamento de Estruturação, Articulação e Ordenamento Turístico. Brasília: Ministério do Turismo.

Carneiro, Henrique. 2003 Comida e Sociedade: uma história da alimentação. Rio de Janeiro: Elsevier.

Cascudo, Luís da C. 2004 História da alimentação no Brasil. – 3 ed. – São Paulo: Global.

CET. Centro de Excelência em Turismo – UNB. 2010 “Congresso de Gastronomia atinge nível científico”. Disponível na internet. http://www. cet.unb.br/portal/index.php?option=com_co ntent&view=article&id=1434:congresso‑de‑gastronomia‑atinge‑nivel‑cientifico& catid=33 &Itemid=100011. Acesso em: 15/08/2010.

Corsi, Rita. 2011 “Antropologia e História da Gastronomia”. Disponível na internet. http://www.scribd. com/.../Antropologia‑e‑Historia‑Da‑Gastronomia‑UniFMU. Acesso em: 14/06/2011.

Coriolano, Luzia N.M.T. 2003. “Os Limites do Desenvolvimento e do Turismo”. in Coriolano, Luzia N. M. T. (Organizadora). Turismo de Inclusão e o Desenvolvimento Local. Fortaleza: FUNECE.

Coriolano, Luzia N.M.T. 2002. “O ecoturismo e os hóspedes da natureza”, in Barretto, Margarita; Tamanini Elizabete. (Organizadoras). Redescobrindo a Ecologia no Turismo. Caxias do Sul: EDUCS,pp. 35‑59.

Córner, Dolores Martin Rodriguez. 2004 “A Gastronomia Étnica no Turismo Gaúcho”. Revista Eletrônica – UNISANTOS. Disponível na internet. http://www.unisantos.br/pos/ revistapatrimonio/artigos.php?cod=1. Acesso em 15/8/2010.

Costa, Ewerton R. C. 2008. “Gastronomia: uma sedução para o turista”. Revista Virtual Partes. ISSN 1678‑8419. Disponível na internet. http://www.partes.com. br/turismo/gastronomico/gastronomia01.asp. Acesso em: 25/04/2010.

Curado, Fernando F. 2008 “Gestão Participativa para o Desenvolvimento Sustentável da Comunidade Ilha Mem de Sá, Itaporanga D’Ajuda –SE”. Macroprograma 6. Aracaju‑SE: Embrapa Tabuleiros Costeiros.

Diegues, Antônio Carlos. 2005 El mito moderno de la naturaleza intocada. São Paulo: NUPAUB‑USP.

Drumm, Andy; Moore, Alan. 2002 Ecoturism development: A manual for conservatio planners and managers. An introduction to Ecotourism planning. V.1. Virginia, USA: The Nature Conservancy.

Franco, Ariovaldo. 2001 De caçador a gourmet – Uma história da gastronomia. 3. ed. São Paulo: SENAC.

Fennell, David A 2002 Ecoturismo. Tradução de Inês Lohbauer. São Paulo: Contexto.

Ferreira, Lúcia da Costa. 2004 Dimensões humanas da biodiversdade: mudanças sociais e conflitos em torno de áreas protegidas no Vale do Ribeira –SP, Brasil. Revista Ambiente e Sociedade. Vol. VII, n. 1, jan‑jun.

Furtado. Fábio L. A 2004 “Gastronomia como Produto Turístico”. Revista Turismo. Disponível na internet. http://www. revistaturismo.com.br/artigos/gastronomia.html. Acesso em: 15/08/2010.

Grechinsk, Paula T. e Cardozo, Poliana F. 2008 “A gastronomia eslava em Irati como possibilidade de atrativo turístico”. Pasos. Revista de Turismo y Patrimonio Cultural. ISSN 1695‑7121. Vol. 6 Nº 2 págs. 361‑375. 2008 Special Issue – Número Especial. Disponível na internet: http://www.pasosonline.org/ Publicados/6208special/PS0208_17.pdf. Acesso em: 10/03/2011.

Honório, Erotilde e Barros, Manuela. 2003 “Turismo, Cultura e Identidade: O Caso de Guassussê”. in Martins, Clerton. Organizador. Turismo, Cultura e Identidade. São Paulo: Roca, pp. 153‑158.

Horta, M. L. 2009 “Educação Patrimonial”. [S.I.: s. n.]. Disponível na internet. http://stoa.usp.br/biacavalcanti/ files/616/4128/Educa%C3%A7%C3%A3%20 patrimonial.doc. Acesso em:28/10/2009.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2011 “ITAPORANGA D’AJUDA – SE”. Disponível na internet. http://www.ibge.gov.br/cidadesat/ xtras/perfil.php?r=2&codmun=280320. Acesso em 14/06/2011. (Dos veces y solo se referencia La página 1. Queda fatal)

Itaporanga D’Ajuda, Prefeitura Municipal. 2010 “A Cidade”. Disponível na internet. http://www. itaporanga.se.gov.br/. Acesso em: 12/10/2010.

Junior, I. P. S., et al. 2010 “Gestão dos recursos pesqueiros: em busca da sustentabilidade da pesca artesanal no povoado Mem de Sá – Itaporanga D’Ajuda – Sergipe – Brasil”. Disponível na internet. www.eulacias. org/materiales/pdfs/.../ivaldo_junior_sesion_6. pdf ‑ Similares. Acesso em: 08/06/2011.

Kent, Michael. 2003 “Ecoturism, environmental preservation and conflicts over natural resources”. Revista Horizontes Antropológicos. Porto Alegre, ano 9. pp. 185‑203.

Leal, Maria L. M. S. 1998 A História da Gastronomia. 4ª ed. Rio de Janeiro: Senac Nacional.

Lindenberg, K.; Hawkins, D. E. (orgs). 2002 Ecoturismo – Um Guia para Planejamento e Gestão. 4ª ed. São Paulo: Editora SENAC São paulo.

Martins, Clerton. 2003 “Identidade: percepção e Contexto”, in Martins Clerton .Organizador. Turismo, Cultura e Identidade. São Paulo: Roca, pp. 39‑48.

Mistraud, S. (Org.) 2003 Manual de Ecoturismo de Base Comunitária: ferramentas para um planejamento responsável. WWF Brasil.

Molina, Sergio. 2001 Turismo e ecologia. 1ª ed. Bauru‑SP: EDUSC.

Neves, Berenice. A. de C. 2003 “Patrimônio Cultural e Identidades”, in Martins, Clerton. Organizador. Turismo, Cultura e Identidade. São Paulo: Roca, pp.49‑61.

Paraná. Secretaria de Estado da Cultura. 2010 “Inventário Cultural”. Disponível na internet. http://www.prdagente.pr.gov.br/modules/ conteudo/conteudo.php?conteudo=93. Acesso em: 07/01/2011.

Pires, Paulo dos. 2002 Dimensões do Ecoturismo. São Paulo: Editora Senac São Paulo.

Rodrigues, Adyr Balastreri. 2005 “Ecoturismo: limites do eco e da ética. In: RODRIGUES, Adyr Balastreri (Org.). Ecoturismo no Brasil: possibilidades e limites. São Paulo: Contexto, pp.23‑45.

Russo. Célia R. 2005 “Comunidades tradicionais e preservação cultural por meio do ecoturismo” in Mendonça, Rita; Neiman Zysman. Organizadores. Ecoturismo no Brasil. Barueri‑SP: Manole.

Schlüter, Regina.G. 2003 Gastronomia e Turismo. Tradução Roberto Sperling. São Paulo: Aleph.

Segala, Luiziane Viana. 2003. “Gastronomia e Turismo Cultural”. Revista Turismo. Disponível na internet. http://www. revistaturismo.com.br/materiasespeciais/gastronomia. html. Acesso em: 15/08/2010.

Sergipe. Secretaria de Estado do Planejamento, habitação e do desenvolvimento Urbano –

SEPLAN. 2010 “Sergipe Gastronômico: Guia Gastronômico dos territórios Sergipanos”. Aracaju‑SE: Seplan.

Serrano, Célia Maria de T. 2001. O “produto” ecoturístico, in Ansarah, Marília Gomes dos Reis. Organizadora. Turismo, como aprender, como ensinar,2. São Paulo: Editora SENAC São Paulo.

Souza, Cleberton S.; Braghini, Cláudio.R.; Araújo, Leyslene F. 2010 “Espaços de diálogo na comunidade para o Ecoturismo: a Ilha Mem de Sá, Itaporanga D’ajuda (SE)”. Revista Brasileira de Ecoturismo, São Paulo, v.3, n.2, pp.235‑248.

UNESCO. Organização das Nações Unidas para Educação e Cultura. 2003 Convenção para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial. http:// unesdoc.unesco.org/ images/0013/001325/132540por.pdf. Acesso em 27/02/2013.

Viertler, Renate B. 1999 A idéia de “sustentabilidade cultural”: algumas considerações críticas a partir da Antropologia in: Bastos Filho, J. B. (Org.) ; Amorim, N. F. M. (Org.) ; Lages, V. N. (Org.). Cultura e Desenvolvimento. A sustentabilidade cultural em questão. 1. ed. Recife: Editora Universitária da Universidade Federal de Pernambuco, v.1, pp. 17‑37.

Wen, Leonardo. 2008 “Culinária sergipana tem dialeto próprio”. Disponível na internet. http://futibar.blogspot. com/2008/03/culinria‑sergipana‑tem‑dialeto‑prprio. html. Acesso em: 26/05/2011.

Publicado
2013-11-05
Cómo citar
Nascimento Ribeiro, J., Santos Andrade, T., & Braghini, C. (2013). Sabores, saberes e o desenvolvimento do ecoturismo na comunidade Mem de Sá, Itaporanga D’Ajuda, Estado de Sergipe. PASOS Revista De Turismo Y Patrimonio Cultural, 12(2), 409-424. https://doi.org/10.25145/j.pasos.2014.12.029
Sección
Artículos