Enoturismo: possibilidades e desafios para o desenvolvimento regional do turismo na região vinícola do Vale do São Francisco - Nordeste brasileiro

  • Paula Wabner BInfare Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Patrícia Lins de Arroxelas Galvão Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Cleber Augusto Trindade Castro Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Palabras clave: Enoturismo, Vinho, Agentes sociais, Desenvolvimento

Resumen

O enoturismo é uma modalidade em crescimento no Brasil, já fortalecido na região sul, no entanto ainda em estruturação no nordeste. O Vale do São Francisco, situado no semiárido nordestino, foi impulsionado por projetos e investimentos em pesquisa e tecnologia, atraindo vinícolas nacionais e internacionais que vivenciam crescimento pouco comum em cidades do sertão nordestino, marcadas pela seca e baixo índice de desenvolvimento humano. Ao apostar na produção de vinho, governo e empresários se estruturam para enoturismo. Este estudo analisa a atuação dos diversos atores sociais envolvidos com enoturismo. Para a concretização desta proposta, recorreu-se ao levantamento bibliográfico, pesquisa qualitativa por meio da análise de conteúdo e visitas aos municípios e vinícolas, com o intuito de interpelar os principais envolvidos na atividade. Portanto, o enoturismo é percebido como estratégia para desenvolver as destinações e também oportunidade de marketing para fortalecer a imagem do vinho. Ressalta-se que pode integrar microrregiões, onde é possível aproveitar produto-base, gastronomia aliados ao vinho, promovendo atração conjugada. Deve ser compreendido como elemento de articulação e integração entre o meio rural e o conjunto da sociedade. Os resultados dessa análise irão trazer algumas considerações teóricas e implicações práticas para a vitivinicultura e o turismo.

Biografía del autor/a

Paula Wabner BInfare, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Professora do eixo Hospitalidade, Lazer e Turismo do Instituto Federal do Rio Grande do Norte, Doutorando em Turismo da Universidade Federal do Rio Grande do Norte; aluna visitante do Programa de Doutoramento da Universidade de Aveiro, PT

Patrícia Lins de Arroxelas Galvão, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Doutoranda da UFRN; Professora do IFAL.
Cleber Augusto Trindade Castro, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Doutorando e Professor da UFRN

Citas

Cambourne, B. 1998. Wine tourism in the Camberra district. Wine tourism – Perfect Partners, Proceedings of the First Australian Wine Tourism Conference, Bureau of Tourism Research.

Carneiro, Maria J. 2002. “Multifuncionalidade da agricultura e ruralidade: uma abordagem comparativa”. En Moreira, R.J y Costa, L.F.C. Mundo rural e cultura. Rio de Janeiro, Mauad, p. 223-240.

Carlsen, J. y Ali-Knight, J. 2004. “Managing wine tourism through demarketing: the case of Napa Valley, California”, International Wine Tourism Research.

Charters, S. y Ali-Knight, J. 2002. “Who is the wine tourist?”, Tourism Management, v. 23, p. 311-319.

Contreras, A. 2015. “Turismo rural en el acomuna de Villarica – Chile: institucionalidad y emprendedores rurales”. Estudios y Perspectivas en Turismo, 24 (1), 21-39, Jan-abril.

Costa, A. y Kastenholz, E. 2009. “O enoturismo como fator de desenvolvimento das regiões mais desfavorecidas”. Congresso de Desenvolvimento Regional de Cabo Verde. Anais. (pp. 1489-1508). Cabo Verde.

CTPeixes. Centro de Transposição de Peixes. 2001. “Mapa da bacia do são francisco“. Brasília: CNPQ. Disponível em www.sfrancisco.bio.br, acesso em out 2015.

Favero, I. y Antunes, J. 2007. “Enoturismo en la región uva y vino – Brasil”. Estudios y perspectivas en Turismo. Buenos Aires, v.16, p.133-149.

Getz, D. y Brown, G. 2006. “Critical success factors for wine tourism regions: a demand analysis”. Tourism Management. 27(1), 146-158, jan.

Guzmán, T., La Torre, G. y Ocerín, J. 2008. “Análisis econométrico del enoturismo en España: un estudio de caso”. Estudios y Perspecitvas en Turismo. 17 (1), 98-118, jan.

Hall, M. et al. 2004. “Wine tourism – an introduction”. En Hall, L. Sharples, B. Cambourne; N. Macionis (orgs). Wine tourism around the world – development, management and markets. Oxford: Elsevier.

Kilipiris, F. E. y Karamanidis, I. 2010. “Wine Roads of Northern Greece: A tool for promoting oenogastronomy for the areas of Epirus, Macedonia e Thrace”. Tourism & Hospitality Management, Conference Proceedings, p. 967-975.

Lazo, M.M 2011. “Calidad enoturística en la futura ruta del vino de la D.O. Ribeira del Duero en España”. Revista TMQ, Lisboa, 2(2).

Locks, E. y Tonini, H. 2005. “Enoturismo: o vinho como produto turístico”. Turismo em Análise, São Paulo: ECA-USP, 16(2), 157-173, nov.

O’Neil, M. y Charters, S. 2001. “Service quality at the cellar door: implications for Western Australia developing wine tourism industry”. Managing Service Quality, Bedford, 10.

Ortega, A.C. y Jeziorny, D.L. 2011. Vinho e território: A experiência do Vale dos Vinhedos. Campinas: Alínea.

Pacheco, A; y Silva, S. 2001. “Iniciação à Enologia”. En: Ansarah, M (Org). Turismo: como aprender, como ensinar. 2 ed. v. 2. São Paulo: SENAC, p. 331-352.

Preston-Whyte, R. 2004. “Wine routes in South Africa”. En: Hall, M. et al. (Org.). Wine tourism around the world. Estados Unidos: Betterworth-Heinemann.

Río Rama, M., Alvarez García, J., Gândara, J., Valduga, V. y Rodríguez González, P. 2014. “Rute del vino Ribeiro Sacra (Galícia – España): Análises desde el punto de vista de la oferta enoturística”. Turismo & Sociedade, Curitiba, 7(3), 554-575, julho. Dossiê sobre Enoturismo.

Roese, M. 2008. “O Mondovino de cabeça para baixo: as transformações no mercado internacional do vinho e o novo empresariado vinícola”. Revista Sociologia Política. V. 16(31): 71-83. Nov.

Schlüter, R. G. 2003. Gastronomia e Turismo. São Paulo: Aleph.

Simões, O. 2008. “O enoturismo em Portugal: as rotas do vinho”. Pasos, revista de turismo y património cultural, 6(2), 269-279.

Vaz, A. I. I. G. S. L. 2008. O enoturismo em Portugal: Da “cultura” do vinho ao vinho como cultura, Tese de Doutoramento em Geografia Planeamento Regional e Urbano, Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Lisboa.

VINHOVASF. Instituto do Vinho do Vale do São Francisco. 2011. Histórico. Disponível em: http://www.vinhovasf.com.br, acesso em abril 2011.

Vital. T. W. 2009. “Vitivinicultura no Nordeste do Brasil: situação recente e perspectivas”. Revista Econômica do Nordeste, 40(3), 499-524.

Wanderley, M. N. B. 2002. “Territorialidade e ruralidade no Nordeste: por um pacto social pelo desenvolvimento rural”. En: Planejamento e Desenvolvimento dos Territórios Rurais: conceitos, controvérsias e experiências. Brasília: EMBRAPA.

Publicado
2016-10-22
Cómo citar
Wabner BInfare, P., Lins de Arroxelas Galvão, P., & Trindade Castro, C. (2016). Enoturismo: possibilidades e desafios para o desenvolvimento regional do turismo na região vinícola do Vale do São Francisco - Nordeste brasileiro. PASOS Revista De Turismo Y Patrimonio Cultural, 14(5), 1217-1227. https://doi.org/10.25145/j.pasos.2016.14.081
Sección
Artículos