Marketing Turístico e Cooperação Técnica Internacional em Turismo da Cidade de Natal (Rio Grande do Norte, Brasil) na Argentina

Autores/as

  • Edegar Luis Tomazzoni
  • Daniela Tineo USP

DOI:

https://doi.org/10.25145/j.pasos.2018.16.023

Palabras clave:

Turismo, Marketing, Cooperação técnica, Natal (RN; Brasil), Argentina.

Resumen

A cooperação em turismo está implícita em diversas pesquisas, mas estudos sobre a modalidade específica de cooperação, que é a cooperação técnica em turismo, ainda são reduzidos em vários países, como no Brasil. O objetivo deste artigo é analisar as ações de marketing e de cooperação técnica em turismo do destino turístico Natal (Rio Grande do Norte, Brasil) na Argentina. A pesquisa é qualitativa, exploratória e descritiva. O contexto de estudo é a cidade de Natal e o estado do Rio Grande do Norte (Brasil). O
procedimento metodológico consistiu em análise do conteúdo de entrevistas com gestores das organizações do turismo do estado e da capital potiguar. Os gestores do turismo de Natal e do estado realizam ações de marketing turístico, que contemplam diversas modalidades de cooperação técnica internacional em turismo. É importante, porém, que se intensifiquem as ações de cooperação técnica internacional em turismo pelos atores do destino analisado, a fim de tornar as estratégias de marketing turístico mais eficazes e produtivas.

 

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Biografía del autor/a

Daniela Tineo, USP

Mestranda em Turismo na EACH/USP

Citas

ABC Agência Brasileira de Cooperação. [en línea] . [Consulta: 15 de fevereiro de 2016].

ABC Agência Brasileira de Cooperação. [en línea] <http://www.abc.gov.br/Projetos/CooperacaoSulSul/ Mercosul>. [Consulta: 25 de janeiro de 2016].

Afonso, M. M.; Fernandes, A. P. 2005. AbCD. Introdução à cooperação para o desenvolvimento. Lisboa: Instituto Marquês de Valle Flôr.

Agapito, D. L.; Mendes, J. C. ; Valle, P. S.; Almeida H. 2014. “Um contributo do marketing sensorial para o marketing da experiência turística rural”. Pasos Revsita de Turisno y Patrimonio Cultural. 12 (3): 611 - 621.

Almeida, M; Marcondes, R. 2014. “A distribuição física como recurso estratégico de fabricantes de bens de consumo para a obtenção da vantagem competitiva”. Revista de Administração. São Paulo, 49 (4): 656-670,

Barbosa, A. L. 2012. Relações organizacionais para o desenvolvimento regional do turismo. In. Beni, M. C. (Org.) Turismo planejamento estratégico e capacidade de Gestão. Barueri, SP: Manole, 131 – 156.

Barroso, G. A.; Mota, K. C. 2010 “Marketing turístico internacional: la marca Brasil”. Estudios y Perspectivas en Turismo, (19), 2: 241 – 267. 2011

Bardin, L. Análise de conteúdo. Edições 70, São Paulo.

Barros, A.; Lehfeld, N. 1991. Projeto de pesquisa: propostas metodológicas. Vozes, Petrópolis.

Beni, M. C. 2004. Análise estrutural do turismo. Senac, São Paulo.

Bock, I. A. A. 2011. Grupo gestor do turismo rural do Rio Grande do Sul. Um estudo sob a ótica de redes colaborativas e do capital social. Dissertação (Mestrado) – Universidade de Caxias do Sul, Programa de Pós- -Graduação em Turismo. Caxias do Sul (RS)..

Braga, D. C. 2007. Planejamento turístico: teoria e Prática. Rio de Janeiro: Elsevier.

Brasil, Ministério do Turismo. Plano Nacional de Turismo 2013 – 2016. [en línea] http://www.turismo. gov.br/images/pdf/plano_nacional_2013.pdf. [Consulta: 15 de fevereiro de 2016].

Buosi, M.; Silva, A. 2013. “Personalidades: a avaliação dos atributos da imagem e sua relação com a imagem global do destino de Turismo Internacional – Praia de Jericoacoara”. Turismo em Análise, 24 (1): 25 - 40.

Carril, C. 2007. Qual a importância da marca na sociedade contemporânea? (Coleção Questões Fundamentais da Comunicação) Paulus, São Paulo.

César, P. B. 2011. Turismo e desenvolvimento sustentável: análise dos modelos de planejamento. Caxias do Sul (RS): Educs.

Cervo, A. L. 1994. “Socializando o desenvolvimento. Uma história da cooperação técnica internacional do Brasil”. Revista Brasileira de Política Internacional, 37 (1): 38 - 63

Chagas, M. M. 2010. Análise da relação causal entre imagem de destinos, satisfação e fidelidade: um estudo de acordo com a percepção do turista nacional do destino turístico Natal. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Turismo. Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal, Rio Grande do Norte, Brasil.

Cooper, C.; Fletcher, J.; Wanhill, S.; Gilbert, D.; Shepeherd, R. 2007. Turismo, princípios e prática. São Paulo: Artmed.

Coriolano, L N.; Vasconcelos, F. P. 2013. “Região, desenvolvimento regional e turismo comunitário”. Revista Brasileira de Desenvolvimento Regional, (1): 95 – 111.

Dencker, A. 2007. Métodos e técnicas de pesquisa em turismo. Futura, São Paulo.

Dias, R.; Cassar, M. 2005. Fundamentos do Marketing Turístico. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Dwyer, F.; Schurr, P.; Oh, S. 2006. “Desenvolvimento dos relacionamentos entre comprador e vendedor”. RAE – Revista de Administração de Empresas – Clássicos, 46 (3): 111-136

Fratucci, A. 2009. “Refletindo Sobre a Gestão dos Espaços Turísticos: Perspectivas para as Redes Regionais de Turismo”. Turismo em Análise, (20), 3: 391 - 408.

Furtado, E. M. 2005. “A ‘onda’ do turismo na ‘cidade do sol’. A reconfiguração urbana de Natal”. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Turismo. Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal, Rio Grande do Norte, Brasil.

Guissoni, L. A. & Rodrigues, J. N. 2014. “O efeito da distribuição sobre o market share em diferentes canais”. Revista de Administração de Empresas. 54 (6): 620 – 632.

Gullo, J.; Pinheiro, D. 2005. Comunicação integrada de marketing. Gestão dos elementos de comunicação. Suporte às estratégias de marketing e de negócio e na empresa. São Paulo, Atlas.

Hoffman, K. D. & Bateson, J. 2012. Princípios de marketing de serviços: conceitos, estratégias e casos. São Paulo: Cengage Learning.

Huang, Y., & Rundle-Thiele, S. 2014 “The moderating effect of cultural congruence on the internal marketing practice and employee satisfaction relationship. An empirical examination of Australian and Taiwanese born tourism employees”. Tourism Management, (42): 196 – 206.

Kavoura, A.; Katsoni, V.; Vassiliadis, C. & Vlachopoulou, M. 2013. From e-business to c-commerce: collaboration and network creation for an e-marketing tourism strategy. Tourismos, 8 (3): 113-128

Kotler, P. & Keller, K. L. 2006. Administração de marketing: análise, planejamento, implementação e controle. Prentice Hall:São Paulo.

Kotler, P., Keller, K., Ancarani, F., & Costabile, M. 2014. “Marketing management”. Pearson.

Kumar, N. 2004. Marketing como estratégia. Rio de Janeiro: Elsevier.

Lencioni, S. 1999. Região e geografia. São Paulo: Edusp.

Lopes, C. 2005. Cooperação e desenvolvimento humano: agenda emergente para o novo milênio. São Paulo, UNESP.

Lovelock, C., Patterson, P. & Wirtz, J. 2014. Services marketing. Australia: Pearson.

Mendonça, M. C. A. 2012. Gestão de potenciais clusters turísticos: uma proposta de metodologia de diagnóstico. In. BENI, M.C. (Org.) Turismo planejamento estratégico e capacidade de Gestão. Barueri, SP: Manole, 87 - 110.

Moraes, R. 1994. Análise de conteúdo. Limites e possibilidades. In: Engers, M. E. A. (Org). Paradigmas e metodologias de pesquisa em educação. Porto Alegre: Edipucrs.

OECD. Development co-operation report 1992. [en línea] <http://www.oecd.org/dac/dcr2012.htm>. [Consulta: 10 de janeiro de 2016].

Oliveira, H. A. 2006. Política internacional contemporânea: mundo em transformação. São Paulo: Saraiva.

Oliveira, M. F.; Luvizotto, C. K. 2011. “Cooperação técnica internacional: aportes teóricos”. Revista Brasileira de Política Internacional. 54 (2): 5-21.

PNUD. Capacity development. [en línea] <http://www.undp.org/content/undp/en/home/ourwork/ capacitybuilding/overviewhtml>. [Consulta: 10 de janeiro de 2016].

Pozo, H.; Tachizawa, T. 2012. “Responsabilidade social corporativa e marketing social: um estudo exploratório em empresas para o fortalecimento do turismo na região da baixada santista (São Paulo)”. Pasos Revsita de Turisno y Patrimonio Cultural. 10 (3): 357 - 368.

Sampaio, D.; Fagundes, A. 2008. “Estratégias de marketing: um estudo prático”. Pretexto, 9 (2): 97-116.

Santa Maria, J. 2009. Estratégias de marketing de relacionamento para instituições de ensino superior privadas de Porto Alegre – RS. Tese de Doutorado em Engenharia de Produção da Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil.

Sarquis, A.; Ikeda, A. 2009. “Segmentação de mercado no ramo de agências de comunicação”. Revista de Gestão USP, 16 (2): 101 - 119

Sarquis, A.; Pizzinatto, N.; Giuliani, A. C.; Pontes, A. 2015. “Estratégias de marketing: estudo no setor de agências de viagens e turismo”. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo. São Paulo, 9(2): 298 – 320.

Severino, A. J. 2013. Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Cortez.

SETUR – Secretaria de Turismo de Natal (RN). [en línea] <http://turismo.natal.rn.gov.br/>. [Consulta: 15 de dezembro de 2015].

Silva, C. J. 2005. Marketing estratégico de lugares. In: Trigo, L. G. (Ed.). Análises regionais e globais do turismo brasileiro. São Paulo: Roca, 81 - 93.

Souza, A. M. 2011. “A Cooperação para o desenvolvimento Sul-Sul. Os casos do Brasil, da Índia e da China”. Boletim de Economia e Política Internacional, (09): 89 - 99.

Tomazzoni, E. L. 2009. Turismo e desenvolvimento regional: dimensões, elementos e indicadores. Educs, Caxias do Sul (RS).

Vaz, G. N. 2002. Marketing turístico receptivo e emissivo: um roteiro estratégico para projetos mercadológicos públicos e privados”. São Paulo: Pioneira Thomson Learning.

Voe Gol. 2015, Junho. “Loucos pela Argentina”. Revista da Gol, São Paulo.

Yázigi, E. A. 2003. Civilização urbana, planejamento e turismo: discípulos do amanhecer. São Paulo: Contexto.

Publicado

2018-04-24

Cómo citar

Tomazzoni, E. L., & Tineo, D. (2018). Marketing Turístico e Cooperação Técnica Internacional em Turismo da Cidade de Natal (Rio Grande do Norte, Brasil) na Argentina. PASOS Revista De Turismo Y Patrimonio Cultural, 16(2), 321-334. https://doi.org/10.25145/j.pasos.2018.16.023

Número

Sección

Artículos