Perspectiva antropológica del turismo de vivienda en portugal

  • Luís Silva
Palabras clave: Turismo residencial, Arquitectura rural, Mercantilización de la hospitalidad, Sensibilidad pastoral, Diferenciación social, Desarrollo rural, Portugal

Resumen

La expresión turismo de vivienda designa las modalidades de alojamiento en zonas rurales, orientadas a la explotación de sus recursos naturales y culturales. Este artículo presenta datos cualitativos y cuantitativos sobre la producción, el consumo y los impactos locales del sector en Portugal. La oferta proporciona dos tipos de alojamiento: lo que sería típico de los campesinos con algunas posesiones y lo que asociamos a las élites de provincia. Existen cuatro grupos de propietarios: élites de provincia, agricultores, indiferenciados y prevaricadores. Los huéspedes son ciudadanos de clase media movidos por una sensibilidad pastoral, a la que se une la atracción por la Historia cuando frecuentan solares y casas Apalachadas. El sector no produce efectos significativos en el tejido social y económico de las zonas de implantación, pero tiene importantes valores simbólicos.

Biografía del autor/a

Luís Silva

Pós-doutorando na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa com bolsa da Fundação para a Ciência e a Tecnologia. Investigador doutorado integrado no Centro em Rede de Investigação em Antropologia.

Citas

Bourdieu, Pierre 1979 La Distinction. Paris: Les Editions de Minuit.

Cavaco, Carminda 1999 “O mundo rural português: desafios e futuros”. Em Carminda Cavaco (org.), Desenvolvimiento Rural – Desafío e Utopia. Lisboa: centro de Estudos Geográficos. Universidade de Lisboa pp.135-148

Desenvolvimento Rural – Desafio e Uto- pia. Lisboa: Centro de Estudos Geográfi- cos, Universidade de Lisboa, pp. 135-148.

Cohen, Eric 1988 “Authenticity and commoditization in tourism”. Annals of Tourism Research, 15: 371-386.

Crick, Malcolm 1985 “Tracing the anthropological self: 17: 71-92.

D’Amore, Lúcio 1988 “Le Tourisme dans l’Espace Rural en Italie”. I Congresso Internacional do Turismo no Espaço Rural. Viana do Castelo, pp.1-10.

Dann, Graham, e Eric Cohen 1991 “Sociology and tourism”. Annals of Tourism Research, 18: 155-169.

DGT (Direcção-Geral do Turismo) 2000 Turismo no Espaço Rural de 1984 a 1999. Lisboa: Direcção de Serviços de Estratégia e Coordenação Turística.

DGT (Direcção-Geral do Turismo) 2001 Turismo no Espaço Rural 2000. Lisboa: Direcção de Serviços de Estratégia e Coordenação Turística.

DGT (Direcção-Geral do Turismo) 2002 Turismo no Espaço Rural 2001. Lisboa: Direcção de Serviços de Estratégia e Coordenação Turística.

DGT (Direcção-Geral do Turismo) 2004 Turismo no Espaço Rural 2003. Lisboa: Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos, disponível em http://www.turismodeportugal.pt (acesso em 18-03-2008).

DGT (Direcção-Geral do Turismo) 2005 Turismo no Espaço Rural em 2004. Lisboa: Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos, disponível em http://www.turismodeportugal.pt (acesso em 18-03-2008).

DGT (Direcção-Geral do Turismo) 2006 Turismo no Espaço Rural 2005. Lisboa: Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos, disponível em http://www.turismodeportugal.pt (acesso em 18-03-2008).

Dubost, Françoise (org.) 1998 L’Autre Maison: La “Résidence Secondaire”, Refuge de Générations. Paris: Autrement.

Featherstone, Mike 1990 “Perspectives on consumer culture”. Sociology, 24 (1): 5-22.

Giménez Guerrero, Maria del Mar 1996 “La red social como elemento clave del desarrollo local. El caso de los Programas Leader de Castilla y Leon”. III Colóquio Hispano-Português de Estudos Rurais. Lisboa: Sociedade Portuguesa de Estudos Rurais, vol. II, pp.408-419.

Graburn, Nelson, e Jafar Jafari 1991 “Introduction – tourism social science”. Annals of Tourism Research, 18: 1-11.

Greenwood, Davydd 1978 “Culture by the pound: an anthropo- logical perspective on tourism as cultur- al commoditization”. Em Valène Smith (org.), Hosts and Guests. The Anthro- pology of Tourism. Filadélfia: University of Pennsylvania Press, pp.129-138.

Jacobsen, Jens 2000 “Anti-tourist attitudes: Mediterranean charter tourism”. Annals of Tour- ism Research, 27 (2): 284-300.

Joaquim, Graça 1999 “Turismo e mundo rural: que sustentabilidade?”. Em Cavaco, Carminda (org.), Desenvolvimento Rural – Desafio e Utopia. Lisboa: Centro de. Estudos Geográficos, Universidade de Lisboa, pp.305-312.

Jordão, Nuno 2002 “O desenvolvimento rural em Portugal”. Em Edelmira Perez Correa, e José Maria Sumpsi (org.), Políticas, Instrumentos y Experiencias de Desarrollo Rural en América Latina y Europa. Madrid: Ministerio de Agricultura, Pesca y Alimentacíon, pp.321-326.

Kastenholz, Elisabeth 2003 “A gestão da procura turística como instrumento estratégico no desenvolvimento de destinos rurais”. Em Orlando Simões, e Artur Cristóvão (org.), TERN: Turismo em Espaços Rurais e Naturais. Coimbra: Instituto Politécnico de Coimbra, pp.203-216.

Lanfant, Marie-Françoise 1995 “International tourism, internationalization and the challenge to identity”. Em Marie-Françoise Lanfant, John Allcock, e Edward Bruner (org.), International Tourism. Identity and Change. Londres: Sage, pp.24-43.

Lanfant, Marie-Françoise, e Nelson Gra- burn 1992 “International tourism reconsidered:

the principle of the alternative”. Em Valène Smith, e William Eadington (org.), Tourism Alternatives. Filadélfia: University of Pennsylvania Press, pp.88-112.

Lowenthal, David 1996 “Paysages et identités nationales”. Em Marcel Jollivet, e Nicole Eizner (org.), L’Europe et ces Campagnes. Paris: Presses de la Fondation Nationale de Sciences Politiques, pp.245-274.

Mansfeld, Y. 1992 “From motivations to travel”. Annals of Tourism Research, 19 (3): 399-419.

Marx, Leo 1967 [1964] The Machine in the Garden: Technology and the Pastoral Ideal in the America. Oxford: Oxford University Press.

Mathieson, Alister, e Geoffrey Wall 1982 Tourism – Economic, Physical and Social Impacts. Nova Iorque: Longman Group Limited.

Mckercher, Bob, e Hilary Du Cros 2002 Cultural Tourism. The Partnership Between Tourism and Cultural Heritage Management. Nova Iorque: The Ha- worth Hospitality Press.

Moinet, François 2000 Le Tourisme Rural: Comment Créer et Gérer. Paris: France Agricole.

Moreira, Fernando 1994 O Turismo em Espaço Rural: Enquadramento e Expressão Geográfica no Território Português. Lisboa: Centro de Estudos Geográficos, Universidade de Lisboa.

Nash, Denison 1992 “Epilogue: a research agenda on the variability of tourism”. Em Valène Smith, e William Eadington (org.), Tourism Alternatives. Filadélfia: University of Pennsylvania Press, pp.216-226.

Neves, A. Oliveira das (coord.) 2008, Estudo de Caracterização do Turismo no Espaço Rural e do Turismo de Natureza em Portugal. Lisboa: Direcção Geral de Agricultura e Desenvolvimento rural. Versão disponível em http://portal.minagricultura.pt/portal/page/portal/MADRP/PT/servcos/mediateca/publicacoes/publicacoes/ficheiros/Caracteriz_TER.pdf (acesso em 11-08-09).

Pearce, P. L. 1990 “Farm tourism in New Zealand: a social situation analysis”. Annals of Tourism Research, XVII: 337-352.

Pearce, Douglas 1992 “Alternative tourism: concepts, classi- fications, and questions”. Em Valène Smith, e William Eadington (org.), Tour- ism Alternatives. Filadélfia: University of Pennsylvania Press, pp.15-30.

Pearce, Douglas 1992 1995 [1987] Tourism Today, a Geographical Analysis. Essex: Longman. Pereiro Pérez, Xerardo 2008 Turismo Cultural. Uma Visão Antropológica. La Laguna: Pasos, disponível em http://www.pasosonline.org/Publicados/pasosoedita/PSEdita2.pdf (acesso em 15-08-2009).

Ramos, Francisco 1996 “Para uma antropologia do turismo”. Em Textos Antropológicos. Monsaraz: Associação de Defesa dos Interesses de Monsaraz, pp.83-106.

Ribeiro, Manuela 2003a “Espaços rurais como espaços turísticos: reflexões em torno da construção da oferta de turismo em espaço rural em Portugal”. Em José Portela, e João Cal- das (org.), Portugal Chão. Oeiras: Celta, pp.199-216.

Ribeiro, Manuela 2003b “Pelo turismo é que va- mos/poderemos ir (?). Sobre as represen- tações e as visões dos responsáveis das administrações públicas de âmbito local, acerca do turismo para o desenvolvi- mento local”. Em Orlando Simões, e Ar- tur Cristóvão (org.), TERN: Turismo em Espaços Rurais e Naturais. Coimbra: Instituto Politécnico de Coimbra, pp.41-56.

Santana, Agustín 1997 Antropologia y Turismo. ¿Nuevas Hordas, Viejas Culturas?. Barcelona: Ariel.

Sharpley, Richard 1996 Tourism & Leisure in the Country- side. Huntingdon: Elm Publications.

Sharpley, Richard 1999 Tourism, Tourists, and Society. Huntingdon: Elm Publications. Sharpley, Richard, e Julia Sharpley 1997 Rural Tourism: An Introduction. Oxford: International Thomson Business Press.

Silva, Luís 2005/2006 “Os impactos do turismo em espaço rural”. Antropologia Portuguesa, vol.22/23: 295-317, disponível em http://www.uc.pt/en/cia/publica/AP_artigos/AP22.23.13_Silva.pdf (acesso em 21-09-2009).

Silva, Luís 2007a Processos de Mudança nos Campos: O Turismo em Espaço Rural. Tese de Doutoramento em Antropologia. Lisboa: Instituto Superior de Ciências dO Trabalho e da Empresa, policopiado.

Silva, Luís 2007b “Sortelha e Monsaraz: estudo de caso de dois lugares turísticos no interior de Portugal”. Análise Social, vol. XLII, nº184: 853-874, disponível em http://analisesocial.ics.ul.pt/documentos/1218644767X7xIE8fa6Ss61NW7.pdf

(acesso em 21-09-2009).

Silva, Luís 2007c “A procura do turismo em espaço rural”. Etnográfica, vol. XI (1): 141-163, disponível em http://www.scielo.oces.mctes.pt/pdf/etn/v11n1/v11n1a08.pdf (acesso em 21-09-

.

Silva, Luís 2008 “Contributo para o estudo da pósruralidade em Portugal”. Arquivos da Memória, nº4: 6-25, disponível em http://ceep.fcsh.unl.pt/ArtPDF/02_Luis_ Silva.pdf (acesso em 21-09-2009).

Silva, Luís 2009 Casas no Campo. Etnografia do Turismo Rural em Portugal. Lisboa: Imprensa de Ciências Sociais. Colecção Breve.

Silva, Maria Cardeira da 2004 “Introdução. Por uma antropologia dos lugares turísticos”. Em Maria Cardeira da Silva (org.), Outros Trópicos. Lisboa: Livros Horizonte, pp.7-18.

Smith, Valène, e William Eadington (org.) 1992 Tourism Alternatives. Filadélfia: Uni- versity of Pennsylvania Press.

Sobral, José 1999 “Da casa à nação: passado, memória, identidade”. Etnográfica, III (1): 71-86.

Sobral, José 2004 “O genuíno, o espúrio e a identidade local: um estudo de caso das políticas de património em meio rural”. Etnográfica, VIII (2): 243-271.

TP (Turismo de Portugal) 2007a Turismo no Espaço Rural 2006. Lisboa: Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos, disponível em http://www.turismodeportugal.pt (acesso em 18-03-2008).

TP (Turismo de Portugal) 2007b Turismo em 2006. Portugal, continente e regiões autónomas. Lisboa: Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos, disponível em http://www.turismodeportugal.pt (acesso em 18-03-2008).

TP (Turismo de Portugal) 2007c Férias dos Portugueses 2006. Lisboa: Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos, disponível em http://www.turismodeportugal.pt (acesso em 18-03-2008).

TP (Turismo de Portugal) 2008 O Turismo no Espaço Rural 2007. Lisboa: Turismo de Portugal,http://www.turismodeportugal.pt/Portugês/conhecimento/estudoseestatisticas/Pages/Turismo%20em.aspx (acesso em 29-10-2008).

Tuan, Yi-Fu 1974 Topophilia: A Study of Environmental Perception, Attitudes, and Values. Nova Jersey: Prentice-Hall.

Urry, John 2002 [1990] The Tourist Gaze. Leisure and Travel in Contemporary Societies. Londres: Sage.

Wang, Ning 1999 “Rethinking autenticity in tourism experience”. Annals of Tourism Re- search, 26 (2): 349-370.

Publicado
2010-01-15
Cómo citar
Silva, L. (2010). Perspectiva antropológica del turismo de vivienda en portugal. PASOS Revista De Turismo Y Patrimonio Cultural, 8(1), 31-46. https://doi.org/10.25145/j.pasos.2010.08.003