Gestión hotelera diferenciada en las capitales del nordeste de Brasil para los tripulantes de las aerolíneas

  • Erivandeson da Silva Freitas
  • Julio Cesar Ferreira Lima
  • Susana Dantas Coelho
Palabras clave: Hospitalidad, Calidad, Tripulación

Resumen

Debido al crecimiento del sector de la aviación paralelo a la búsqueda de la calidad por parte de la industria hotelera, este estudio destaca el posicionamiento de los tripulantes de una aerolínea brasileña con respecto a los diferentes servicios que se les ofrecen. El objetivo principal de este estudio fue demostrar la calidad de los servicios hoteleros ofrecidos a una aerolínea específica frente a algunas capitales del noreste brasileño. Se requería elevar los estándares de alojamiento establecidos por los organismos reguladores de la aviación; señalar los servicios diferenciados que los hoteles ofrecen a los tripulantes; y medir el nivel de satisfacción con estos servicios. Este trabajo es un estudio de caso exploratorio que se basa en la literatura y en el trabajo de campo, con un cuestionario como herramienta de investigación. Los resultados mostraron que los hoteles investigados siguen los estándares regulatorios establecidos, satisfaciendo a la mayoría de los miembros de la tripulación; aunque se han identificado áreas de mejora.

Citas

ABEOC – Associação Brasileira de Empresas de Eventos. 2015. Setor hoteleiro planeja investir R$ 12,8 bilhões no Brasil até 2020, aponta Fohb. Disponível em: < http://www.abeoc.org.br/2015/03/setor-hoteleiro-planeja-investir-r-128-bilhoes-no-brasil-ate-2020-aponta-fohb/>. Acesso em: 14/11/16.

Bosisio, A. (coord.) 2005. Breve História do Turismo e da Hotelaria. Rio de Janeiro: Confederação Nacional do Comércio/ Conselho de Turismo.

BRASIL. Agência Nacional de Aviação Civil. 1984. Lei Nº 7.183, de 05 de abril de 1984. Regula o exercício da Profissão de Aeronauta, e dá outras providências. Disponível em: <http://www2.anac.gov.br/biblioteca/leis/lei7183%20.pdf>. Acesso em 10/11/2015.

BRASIL. Associação Brasileira de Empresas Aéreas. 2014. Panorama 2014: setor aéreo em dados e análises. Disponível em: <http://www.abear.com.br/ uploads/arquivos/dados_e_fatos_arquivos_ptbr/ABEAR_Panorama2014_24jul_v2_simples.pdf>. Acesso em 11/11/2015.

BRASIL. Ministério do Turismo. 2015. Brasil tem potencial para 252 novas rotas aéreas, revela estudo. Disponível em: <http://www. turismo.gov.br/%C3%BAltimas-not% C3%ADcias/5608-brasil-tem-potencial-para-252-novas-rotas-a% C3%A9reas,-revela-estudo. html>. Acesso em 29/11/2015.

BRASIL. Portal Brasil. 2015. Portal Mais Emprego ofereceu mais de 1,1 milhão de vagas em 2015. Disponível em: . Acesso em: 24/02/2016.

BRASIL. Secretaria de Aviação Civil. 2015. Pesquisa revela perfil de passageiros, aeroportos e rotas no Brasil. Disponível em: <http://www. aviacao.gov.br/noticias/2015/10/pesquisa-da-secretaria-de-aviacao-revela-perfil-de-passageiros-aeroportos-e-rotas-no-brasil>. Acesso em: 11/11/ 2015.

BRASIL. Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA). 2015. Convenção Coletiva de Trabalho da Aviação Regular 2015/2016. Disponível em: < http://www. aeronautas.org.br/images/_sna/documentos/CCT_Regular_2015-2016. pdf>. Acesso em: 22/11/2016.

Carvalho, L. B; Abreu, L. F; Zago, C. A. 2010. Qualidade em serviços hoteleiros: o caso do Hotel LB-Manaus. Disponível em: <http://www.abepro. org.br/biblioteca/enegep2010_TN_STO_114_751_17518.pdf>. Acesso em 26/11/2016.

Carvalho, M. M. de. et al. (Org.). 2013. Gestão de Serviços: casos brasileiros. São Paulo: Atlas.

Castelli, G. 2002. Excelência em Hotelaria: uma abordagem prática. 4ª ed. Rio de Janeiro: Qualitymark.

Corte, M. R de. 2009. A qualidade dos serviços hoteleiros na ilha do Porto Santo. Disponível em: <https://www.repository. utl.pt/bitstream/10400.5/1434/1/TFM%20Romana%20Corte.pdf>. Acesso em 10/08/2015.

Freitas, E. L. de, Silva, J. S. S. e. 2011. “Estudo sobre a atuação dos órgãos de defesa do consumidor no setor hoteleiro.” Em Mota, K. C.

N, Aragão, A. R. F. (Org.) Educação tecnológica: teoria e prática do turismo, da hospitalidade e do lazer. Fortaleza, Expressão gráfica e editora: 92-118.

Juran, J. M. 2002. A qualidade desde o projeto: novos passos para o planejamento da qualidade em produtos e serviços. São Paulo: Pioneira Thimsom Learning.

Maximiano, A. C. A. 2002. Teoria geral da administração: da revolução urbana à revolução digital. 3ed. São Paulo: Atlas.

Miyazaki, S. L. 2007. Certificação da Qualidade e Meio Ambiente: Projeto Formare. São Paulo: Veris Educacional.

Mckinsey & Company. 2010. Estudo do Setor de Transporte Aéreo do Brasil: Relatório Consolidado. Disponível em: . Acesso em 10/08/2015.

Neves, M. A. 1993. Modernização industrial no Brasil: o surgimento de novos paradigmas na organização do trabalho. Educação & Sociedade, n. 45, ago.

Oliveira, M. M. 2007. Como fazer pesquisa qualitativa. Petrópolis, Vozes.

Organização Mundial do Turismo. 2014. Panorama OMT del turismo internacional. Disponível em: <http://www.dadosefatos.turismo. gov.br/export/sites/default/dadosefatos/estatisticas_indicadores/downloads_estatisticas/OMT__Turismo_ highlights_2014_sp.pdf>. Acesso em 19/09/2015.

Paladini, E. P. 2012a. Gestão da Qualidade: Teoria e Prática. 3. ed. São Paulo: Editora Atlas.

Paladini, E. P. 2012b. “Perspectiva Estratégica de Qualidade.” Em Carvalho, M. M; Paladini, E. P (Org). Gestão da Qualidade: teoria e casos. Rio de Janeiro: Elsevier: ABEPRO: 25-85.

Petrocchi, M. 2002. Hotelaria: planejamento e gestão. São Paulo: Futura.

Serson, F. 1999. Hotelaria: a busca da excelência. São Paulo: Marcos Cobra.

Silva, A. L. e Miyashiro, R. 2007. Turismo e hospitalidade no Brasil: um estudo sobre os trabalhadores da hotelaria. São Paulo: CUT.

Silva, A. J. H e Teixeira, R. M. 2008. Em busca de uma abordagem integradora para analisar vantagem competitiva no setor hoteleiro. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, 4 (4): 172-192. Taubaté, SP.

Teboul, J. 1991. Gerenciando a dinâmica da qualidade. Rio de Janeiro: Ed. Qualitymark, Fundação Dom Cabral.

Publicado
2019-01-20
Cómo citar
da Silva Freitas, E., Ferreira Lima, J., & Dantas Coelho, S. (2019). Gestión hotelera diferenciada en las capitales del nordeste de Brasil para los tripulantes de las aerolíneas. PASOS Revista De Turismo Y Patrimonio Cultural, 17(1), 129-141. https://doi.org/10.25145/j.pasos.2019.17.009
Sección
Artículos