Ensaio de uma metodologia com indicadores para o turismo de base comunitária: O caso do Território da Serra do Brigadeiro - Brasil

Autores/as

  • Werter Valentim Valentim
  • Guido Assunção Ribeiro
  • Magnus Luiz Emmendoerfer

DOI:

https://doi.org/10.25145/j.pasos.2013.11.019

Palabras clave:

turismo rural, urismo de base comunitária, indicadores de sustentabilidade, gestão do turismo, planejamento turístico, desenvolvimento territorial.

Resumen

Essay of a methodology with indicators for community-based tourism: The case of Território da Serra do Brigadeiro – Brasil. The Community-Based Tourism (CBT) project was carried out in the territory known as Brigadeiro Mountain, which is located in the forest zone of the state of Minas Gerais – Brazil. Supported by the Department of Tourism, the aim of this project was to develop a methodology based on the ordering of the touristic potential in the studied territory by using specific indicators. The scores obtained for the indicators and other used parameters, in the Galdinos CBT, revealed that the Brigadeiro Mountain presents a touristic aptitude. This would open the possibility to develop a more elaborate touristic planning based mainly on the attractive activities found in that region such as hospitality, forest walks, traditions and secular habits.

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Citas

Amorim, B., Dias, A. e Mielke, E. J. C. 2008 “Análise de oito metodologias de Indicadores de sustentabilidade para projetos de desenvolvimento turístico”, In: Seminário Internacional de Turismo, 10, Curitiba, Brasil. Anais do X SIT – Seminário Internacional de Turismo, 2008.

Benbrook, C. M.; Groth III, E. 1997 “Indicators of the sustainability and impacts of pest management systems”. In: AAAS 1997 Annual Meeting, Seattle, WA, February 16, 1996. [apresentação] Online. Disponível em: http://www.pmac.net. Acesso em: jan. 2013.

Boullón, R. C. 1995 Los municípios turísticos, México: Trillas.

Barretto, M.. 2004 “Relações entre visitantes e visitados: um retrospecto dos estudos socioantropológicos”. Turismo em Análise, São Paulo, 15(2): 133- 149.

Brasil 2004 Ministério do Turismo. Diretrizes para o Desenvolvimento do Turismo Rural no Brasil. 35p.

Brasil 2005. Ministério do Turismo. Programa de regionalização do turismo – roteiros do Brasil – roteirização turístico – módulo operacional 7. Brasília, 43 p.

Cerro, F. L. 1993.Técnicas de evaluación del potencial turistico. Madrid: Ministerio de Industria, Comercio y Turismo, 1993. 261p. (Serie Libros sobre Turismo, 2).

Costa, C. C. de M., Soares, É. B. S. e Emmendoerfer, M. L. 2011 “Análise da relação entre desejos turísticos e condições socioeconômicas de destinos no Brasil”. Administração Pública e Gestão Social (APGS), Viçosa, 3(3): 344-364, jul./set. On-line. Disponível em: http://www.apgs.ufv. br/index.php/apgs/article/view/67/160. Acesso em: dez. 2012.

Costa, N. M. C., Costa, V.C. da, Conceição, R. S. da; Alves, L. F. e Ribeiro, J. V. M. 2010 “Indicadores físico-bióticos de desenvolvimento sustentável do ecoturismo em áreas protegidas brasileiras”, In: Seminário Latino- Americano de Geografia Física, 6, 2010, Seminário Ibero-Americano de Geografia Física, 2, 2010. Universidade de Coimbra, Portugal. Anais... Online. Disponível em: http://www. uc.pt/fluc/cegot/VISLAGF/actas/tema5/nadja. Acesso em: dez. 2012.

CTA – ZM. Centro de Tecnologias Alternativas da Zona da Mata 2004 Plano Territorial Rural de Desenvolvimento Rural Sustentável – PTDRS Serra do Brigadeiro. Ministério do desenvolvimento Agrário, 81p.

Fagliari, G. e Almeida, M. G. 2004 Análise de atratividade e hierarquização de atrativos: sistematização de métodos e proposta para atrativos culturais. Trabalho de Conclusão de Curso (Pós- graduação Lato Sensu) – Faculdade Senac de Turismo e Hotelaria de São Paulo. 217f.

Geertz, C. 1999 A interpretação das culturas, Rio de Janeiro: LTC.

Haguette, M. T. F. 1987 Metodologias Qualitativas em sociologia, Petrópolis: Vozes.

ICRT. Internacional Centre for Responsible Tourism – Brasil. 2011 Monitoramento dos Projetos de Turismo Base Comunitária no Brasil. Relatório Final – Março de 2011. Ministério do Turismo. 26p.

IBGE- Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2008 Indicadores de desenvolvimento sustentável: Brasil 2008. IBGE, Coordenação de Recursos Naturais e Estudos Ambientais. Coordenação de Geografia. Rio de Janeiro: IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 479p.

Irving, M. A. e Azevedo, J. 2002 “Turismo Ética e Educação Ambiental”. In: Irving, M. A. & Azevedo, J. (orgs.) Turismo: o desafio da sustentabilidade, São Paulo: Futura, 17-34.

Jain, N. e Lama, W. 2000 Community-based Tourism For Conservation And Development: A Resource Kit. Washington: The Mountain Institute. 125p.

Maldonado, c. O. 2009 “Turismo rural comunitário na América Latina”. In: Bartholo, R., Sansolo, D.G. & Bursztyn, I. (orgs.). Turismo de Base Comunitária diversidade de olhares e experiências brasileiras. RJ. Editora Letra e imagem, parte I, p.25-44.

Marzall, K. e Almeida, J. 2005 O estado da arte sobre indicadores de sustentabilidade para agroecossistemas. Online. Disponível em: http://www.ivides.org/atlas/ agroecossistemas.pdf Acesso em: nov. 2009.

Magalhães Jr., A. P. 2007 Indicadores ambientais e recursos hídricos: Realidade e perspectiva para o Brasil a partir da experiência francesa. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

Mitchell, G. 1997 Problems and fundamentals of sustainable development indicators. Disponível em: http:// www.lec.leeds.ac.uk/people/gordon.html. Acesso em: jul. 2009.

Moraes, W. V. 2011 O ordenamento dos atrativos de turismo de base comunitária – estudo de caso no Território da Serra do Brigadeiro – MG. Tese de doutorado. Departamento de engenharia florestal. Universidade Federal de Viçosa. 151f. Disponível em: http://www.tede. ufv.br/tedesimplificado/tde_busca/arquivo. php?codArquivo=3772. Online. Acesso em: jan. 2013.

Murphy, P. E. e Murphy, A. E. 2004 Strategic management for tourism communities: bridging the gaps, Clevedon: Channel View Publications.

PERH – Plano Estadual de Recursos Hídrico (PERH). 2005 Plano Estadual de Recursos Hídrico (PERH). 2004-2007. Secretaria de Energia, Recursos Hídricos e Saneamento, Departamento de Águas e Energia Elétrica. Disponível em: www.sigrh.sp.gov.br . Acesso em: nov. 2009.

Sampaio, C. A. C., Oyarzún, E., Souza, M. S. de, Cárcamo, C. e Mantovaneli Jr, O. 2005 “Análise comparativa de experiências de turismo comunitário no Brasil e no Chile”. Revista de Negócios, 10(4): 288-301.

Sansolo R. e Bursztyn, I. 2009 “Turismo de base comunitária: potencialidade no espaço rural brasileiro”. In: Bartholo, R.; Sansolo, D.G. & Bursztyn, I. (Orgs.). Turismo de Base Comunitária diversidade de olhares e experiências brasileiras. Rio de Janeiro: Editora Letra e imagem, parte I, p.142-161.

Tabares, C. F. 1994 Proyectos turísticos; localización e inversión. México: Trillas.

UNCTAD/WTO – United Nations Conference on Trade and Development/ World Trade Organization. 2005 Módulo de Treinamento para o Sucesso do Turismo Baseado na Comunidade – TBC no Âmbito do PRPE – Programa de Redução da pobreza através da Exportação. Internacional Trade Center – ITC. 96 p.

UNWTO – United Nations World Tourism Organization. 2006 Poverty Alleviation Through Tourism – A Compilation of Good Practices. Madrid, Spain: United Nations World Tourism Organization. 126p.

Zechner, T. C., Henríques, C. e Sampaio, C. A. 2008 “Pensando o conceito de turismo comunitário a partir de experiências brasileiras, chilenas e costarriquenha”, In: Seminário Internacional de Turismo Sustentável (SITS), 2, Fortaleza, Brasil, 12 a 15 de maio de 2008. Anais do II SITS, 21 p.

Publicado

2013-01-31

Cómo citar

Valentim, W. V., Ribeiro, G. A., & Emmendoerfer, M. L. (2013). Ensaio de uma metodologia com indicadores para o turismo de base comunitária: O caso do Território da Serra do Brigadeiro - Brasil. PASOS Revista De Turismo Y Patrimonio Cultural, 11(2), 297-312. https://doi.org/10.25145/j.pasos.2013.11.019

Número

Sección

Artículos

Artículos más leídos del mismo autor/a