Efeitos turísticos da Rota do Românico: os Mosteiros do Salvador de Travanca e do Salvador de Paço de Sousa

  • Ana Sofia Brás Mesquita
Palabras clave: Turismo, efeitos, Património, Rotas Turísticas, Rota do Românico, Mosteiro do Salvador de Travanca, Mosteiro do Salvador de Paço de Sousa.

Resumen

O valor que o património transporta é encarado por cada indivíduo de distintas formas, onde as suas ideologias, experiências arrecadadas, bem como os seus princípios e interesses moldam a sua personalidade e a sua relação com a história e o legado do seu povo. Neste sentido, o Turismo é um fenómeno ainda em definição e (re) adaptação, que tem ganho um papel peculiar no mundo do património e da cultura, de modo que a cultura já é não é apresentada sem que esteja presente a sua relação com o turismo. Vários são os exemplos de projetos e atividades de Turismo Cultural, ora neste projeto de investigação encontra-se expresso um desses paradigmas, ou seja, a Rota do Românico(RR). Logo, no decorrer deste estudo será possível conhecer a RR, os dois casos de Mosteiros românicos, as intervenções que estes sofreram ou estão a sofrer por parte da RR, assim como os efeitos que essas mesmas intervenções e a presença da RR estão a originar nas localidades de Travanca (Amarante) e de Paço de Sousa (Penafiel).

Citas

Ballart, Josep et al, 1996. El valor del patrimonio histórico. Madrid. Universidade Complutense, pp 216-220.

Barretto, Margarita, 2007. Turismo y Cultura. Relaciones, contradiciones y expectativas. Tenerife. Associação Canária de Antropologia. PASOS, Revista de Turismo e Património Cultural.

Cañada, Ernest & Gascón, Jordi, 2006. Turismo & Desarrollo. Herramientas para una mirada crítica. Managua, Nicaragua: Fundación Liciérnaga – Acción por un Turismo Responsable. Carvalho, Carlos – entrevistado para o presente projeto.

Carvalho, Rosa – entrevistada para opresente projeto. Carvalho, Paulo, 2003. Património e Território: dos Lugares às Redes. Coimbra: Centro de Estudos Geográficos da Universidade de Coimbra. Disponível em http://www.sper.pt/oldsite/VCHER/Pdfs/Paulo_Carvalho. pdf (consultado em 17 de novembro de 2014).

Cunha, Fernando – entrevistado para o presente projeto.

Dencker, A. 2007. Pesquisa em Turismo: Planeamento, métodos e técnicas. 9ª ed. S. Paulo: Futura, pp 119-130.

Gonçalves, Bernardino, 2012. Mosteiro de S. Salvador de Paço de Sousa. Contributo para a reabilitação arquitetónica. Porto: Universidade Lusófona. Faculdade de Arquitetura.

Guzmán, Tomás J. López et al, 2006. Las rutas turísticas como motor de desarrollo económico local. La ruta del “Tempranillo”. Córdoba. Instituto de Estudos Turísticos. Secretaria de Estado de Turismo e Comércio. Disponível em http:// www.iet.tourspain.es/img-iet/Revistas/RET-167-2006-pag131-145-96142.pdf (consultado a 4 de fevereiro de 2015).

ICOMOS, 1999. Carta Internacional sobre o Turismo Cultural. México. Disponível em http://www.patrimoniocultural. pt/media/uploads/cc/cartaintsobreturismocultural1999.pdf (consultado a 5 de janeiro de 2015).

Jafari, Jafar (ed.), 2000. Encyclopedia of Tourism. Londres: Routledge, pp 275-276.

Jorge, Virgolino Ferreira, 2000. Património e Identidade Nacional. Évora. Universidade de Évora. Disponível em http://www.civil. uminho.pt/cec/revista/num9/pag_5-12.pdf (consultado em 10 de dezembro de 2014).

Lage, Beatriz Helena Gelas & Milone, Paulo César, 1998. Impactos socioeconómicos do turismo. In: Revista de Administração. São Paulo. Disponível em file:///C:/Users/Utilizador/Downloads/3304030.pdf (consultado a 22 de novembro de 2014).

Machado, Rosário et al, 2009. Rota do Românico do Vale do Sousa. Lousada. VALSOUSA – Comunidade Urbana do Vale do Sousa, pp 251-279.

Machado, Rosário et al, 2014. Rota do Românico – Monografia. Volume II. Lousada. Centro de Estudos do Românico e do Território, pp 241-274.

Malheiro, Miguel et al, 2012. Igreja do Mosteiro de Travanca – Projeto de arquitetura para a conservação, salvaguarda e valorização do imóvel. Porto: Rota do Românico.

Manzoni, Lorena, 2011. El significado cultural del patrimonio. Argentina: Revista digital: Estudios del patrimonio cultural, pp.28-34. Disponível em file:///C:/Users/Utilizador/Downloads/Dialnet-ElSignificadoCulturalDelPatrimonio- 3737646%20(1).pdf (consultado em 26 de maio de 2015).

Mathieson, Alister & Wall, Geoffrey, 1990. Repercusiones económicas, físicas y sociales. Editorial Trillas, pp 58; 176-191.

Ministério das Obras Públicas e Comunicações, 1939. Boletim da Direção Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais – S. Salvador de Travanca (15). Lisboa: República Portuguesa.

Moreira, Maria – entrevistada para o presente projeto.

Perez, S. Amparo, 2001. Apuntes de Metodología de la Investigación en Turismo. Madrid: Organização Mundial do Turismo, pp 12.

Pérez P. Xerardo, 2013. Antropología del turismo indígena en Guna Yala. Etnografia del sistema turístico en una periferia geopolítica latinoamericana. Panamá: Universidade de Laguna – Tenerife, pp. 23-29.

Pérez P. Xerardo, 2009. Turismo Cultural: uma visão antropológica. El Sauzal: Associação Canária de Antropologia e Pasos. Revista de Turismo e Património Cultural;

Pinheiro, Ana Elias, 2007. Itinerários Culturais: viajando pela História. Viseu. In: Colóquio Internacional “Turismo Património e Desenvolvimento”. Universidade Católica Portuguesa. Disponível em http://z3950.crb.ucp. pt/Biblioteca/mathesis/Mat16/Mathesis16_217.pdf (consultado a 4 de fevereiro de 2015).

Ramirez, Javier Hernández, 2011. Los caminos del patrimonio. Rutas turísticas e itinerarios culturales. In: PASOS – Revista de Turismo e Património Cultural, pp. 225-236. Disponível em http://www.pasosonline.org/Publicados/9211/ PASOS24.pdf#page=9 (consultado a 4 de fevereiro de 2015).

Richards, Greg, 2001. Cultural attractions and European tourism. Wallingford, Reino Unido. ATLAS.

Richards, Greg, 2005. Cultural Tourism in Europe. Wallingford, Reino Unido. ATLAS.

Ritchie, Brent W. (et. al) 2005. Tourism Research Methods – Integrating Theory with Practice. Wallinford: CABI International, pp 99-115.

Rocha, Gilberto, 2011. A Atividade Física e Desportiva no âmbito das Atividades de Enriquecimento Curricular: conceções dos Docentes. Vila Real: G. M. Rocha. Dissertação de Mestrado apresentada à Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, pp 32-33.

Silva, Elsa Peralta da, 2000. Património e Identidade. Os desafios do Turismo Cultural. Lisboa. I.S.C.S.P. Universidade Técnica de Lisboa. Disponível em http://bdigital.ufp.pt/bitstream/10284/1713/1/217-224.pdf (consultado a 17 de novembro de 2014).

Silva, Luís, 2014. Património, Ruralidade e Turismo. Etnografias de Portugal Continental e dos Açores. Lisboa. Imprensa de Ciências Sociais (ICS).

Vinha, Iva – entrevistada para o presente projeto.

Yúdice, G. 2006. A conveniência da cultura. Usos da cultura na era global. Duhram e Londres. Duke University Press.

Câmara Municipal de Amarante. Disponível em http://www.cm-amarante.pt/ (consultado 27 de dezembro de 2014).

Câmara Municipal de Penafiel. Disponível em http://www.cm-penafiel.pt/Default.aspx (consultado em 27 de dezembro de 2014).

Instituto Nacional de Estatística. Disponível em https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpgid=ine_ main&xpid=INE (consultado em 26 de maio de 2015).

Direção Geral do Património Cultural: Mosteiro de Paço de Sousa. Disponível em http://www.patrimoniocultural. pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias- -de-classificacao/geral/view/70583/ (consultado em 19 de outubro de 2014); Mosteiro do Salvador de Travanca. Disponível em http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/ pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/69880/ (consultado em 12 de outubro de 2014);

Rota do Românico. Disponível em www.rotadoromanico.com (consultado em 3 de outubro de 2014).

Sistema de Informação para o Património Arquitetónico (SIPA). Mosteiro do Salvador de Travanca. Disponível em http://www.monumentos.pt/Site/APP_PagesUser/SIPA.aspx?id=3954 (consultado em 30 de março de 2015); Mosteiro do Salvador de Paço de Sousa. Disponível em http://www.monumentos. pt/Site/APP_PagesUser/SIPA.aspx?id=5317 (consultado em 30 de março de 2015).

Publicado
2016-07-24
Cómo citar
Brás Mesquita, A. (2016). Efeitos turísticos da Rota do Românico: os Mosteiros do Salvador de Travanca e do Salvador de Paço de Sousa. PASOS Revista De Turismo Y Patrimonio Cultural, 14(4). https://doi.org/10.25145/j.pasos.2016.14.064
Sección
Artículos