Reinterpretando el acervo arquitectónico del barrio de la Playa Grande a través de los lugares de memoria

  • Karoliny Diniz Carvalho
  • Maria de Lourdes Netto Simões
Palabras clave: Patrimonio cultural, Espacio urbano, Lugar de memoria, Turismo cultural, Centro histórico de São Luís (Maranhão, Brasil

Resumen

O artículo analiza los lugares de memoria existentes en el barrio de Praia Grande en São Luís, Maranhão, buscando reflexionar sobre su importancia en la composición de la oferta turística de la ciudad. El estudio parte de un enfoque cualitativo, relacionando cuestiones sobre espacio urbano, patrimonio- nio cultural y memoria. Por medio de entrevistas semi-estructuradas realizadas junto a los residentes, se concluye que los hitos urbanos de Praia Grande son enunciadores de sentimientos de pertenencia e identidad y pueden convertirse en elementos potenciadores del turismo cultural local. Destaca la necesidad de incorporar las diferentes sociabilidades presentes en los espacios materiales y simbólicos donde se realizan las interacciones sociales en el desarrollo de la actividad turística, para contribuir a la valorización del patrimonio cultural.

Biografía del autor/a

Karoliny Diniz Carvalho

Doutoranda em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Mestre em Cultura e Tu- rismo pela Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC). Bacharel em Turismo pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Maria de Lourdes Netto Simões

Pós Doutora em Literatura Comparada e Turismo Cultural pela Universidade Nova de Lisboa, Portugal. Douto- ra em Estudos Portugueses pela mesma universidade. Coordena o Grupo de Pesquisa Identidade Cultural e Ex- pressões Regionais- ICER, na Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC).

Citas

Appolinário, F. 2009 Metodologia da Ciência: filosofia e prática da pes- quisa. São Paulo: Cengage Learning.

Arantes, A. A. 1999 Repensando os aspectos sociais da sustentabilida- de: a conservação integrada do patrimônio ambiental urbano. In: Projeto História, (18) 121-134. São Paulo: Educ/Fapesp,

Augé, M. 1994 Não-lugares. Introdução à uma antropologia da supermodernidade. São Paulo: Papirus.

Balandier, G. 1980 O poder em cena. Universidade de Brasília.

Barbosa, Y. 2001 O despertar do turismo: uma visão crítica sobre os não-lugares. São Paulo: Aleph.

Barros, A. J. da S. y Lehfeld, N. A. de S. 2000 Fundamentos de metodologia. São Paulo: Makron

Books. Berdoulay, V. 2007 Enjeux iconographiques dans l’aménagement des lieux de mémoire (Contribution à l’ouvrage prévu sur le thème “Lieux de mémoire, commemoration et identité dans la francophonie canadienne”). En: Cahiers de géographie du Québec, 2007. 16 p.

Boullón, R. C. 2002 Planejamento do espaço turístico. São Paulo: EDUSC.

Bosi, E. 1994 Memória e sociedade: lembranças de velhos. São Paulo: Companhia das Letras.

Brito, M. 2009 Turismo Cultural sustentável: certificação de destinos turísticos de dominância patrimonial. En: CAMARGO, P. de; CRUZ, G. P. da (Orgs.). Turismo Cultural: estratégias, sustentabilidade e tendências (pp.- 225-248). Ilhéus: Editus.

Canclini, N. G. 1999 O Patrimônio Cultural e a construção imaginária nacional. En: Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. n°23 (pp. 94-115) Rio de Janeiro.

Carlos, A. F. A. 1996 O lugar no/do mundo. São Paulo: Hucitec.

Carlos, A. F. A. 2002. O Turismo e a produção do não-lugar. En: YÁZI- GI, E. (Org.). Turismo: espaço, paisagem e cultura. São Paulo: Hucitec, p.25-36

Choay, F. 2001 Alegoria do patrimônio.São Paulo: UNESP.

Cifelli, G. 2010 A refuncionalização turística do patrimônio cul- tural: os novos usos do território apropriado pelo turismo em Ouro Preto-MG. En: PAES, M. T.D.; OLIVEIRA, M.R. da S. (Orgs.). Geografia, turismo e patrimônio cultural. São Paulo: Annablume, p.113- 138.

Dencker, A.de F. M. 1998 Métodos e técnicas de pesquisa em turismo. São Paulo: Futura.

Ferretti, S. (Org.). 2002 Tambor de Crioula: ritual e espetáculo. 3 ed. São

Luís: Comissão Maranhense de Folclore. Freire, C. 1997 Além dos Mapas. São Paulo: Annablume. Gastal, S.

Lugar de memória: por uma aproximação teóri- ca ao patrimônio local. En: GASTAL, Susana.(Org.). Turismo: investigação e crítica. São Paulo: Contexto.

Lacarrieu, M. 1999 Os dilemas sociais do patrimônio: usos, ‘inflação’ ou ‘hiperinflação’ de História? En: Revista da Asso- ciação Brasileira de História Oral. n.2, Rio de Janei- ro: Logaria Brasileira.

Lamas, José M. R. G. 2000 Morfologia Urbana e desenho da Cidade. 2.ed. Fundação Calouste Gulbenkan, Fundação para a Ciência e Tecnologia.

Lucas, S. M. de M. 2000 Turismo cultural no Vale do Paraíba: uma expe- riência histórica. En: 2º CONGRESSO BRASILEIRO DE TURISMO RURAL. Turismo: novo caminho no espaço rural brasileiro. Piracicaba

Lynch, K. 1988 A imagem da cidade. São Paulo: Martins Fontes. Martins, A. M. M.

Patrimônios afetivos: afetos, uso e ciência patri- monial. En: II CONGRESSO INTERNACIONAL DE PATRIMÔNIO CULTURAL. Congreso Internacio- nal Patrimonio Cultural. Córdoba.

Nora, P. 1993 Entre Memória e História: a problemática dos lu- gares. São Paulo.

Matos, M. I.S de. 2002 Cotidiano e cultura: história, cidade e trabalho.

São Paulo. EDUSC.

Mello, J. B. F. de. 1997 Espaço, lugar e “Deslugar”. En: Redes. (1)2: 93-107. Rio de Janeiro.

Minayo, M.C. de S. 1994 Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Rio de Janeiro: Vozes. Peciar, P. L. R.

Turismo Cultural: um olhar sobre as manifes- tações de atratividade encontradas nas feiras popu- lares do Brinque da Redenção em Porto Alegre- RS, Brasil e a feira da Praça Matriz de Montevidéu, no Uruguai” (pp. 41-54). In: Barretto, M. (Org.). Turismo, cultura e sociedade. Caxias do Sul: Educs

Peixoto, P. 2003 Centros Históricos e sustentabilidade cultural das cidades. Texto apresentando “A cidade entre projec- tos e políticas”. Disponível en: http://www.ler.letras. up.pt/ficheiros/artigos 8511. Acesso em 09 de novem- bro de 2010.

Pellegrino, C.T. 2002 Patrimônio Cultural Urbano: de quem: Para Quê? En: Congresso Internacional De Turismo Cultural organizado por Naya (Notícias de Antropologia e Ar- queologia, 2002). Disponível em: <http://www.naya. org.>. Acesso em 12 de abril de 2010.

Pollak, M. 1989 Memória, Esquecimento, Silêncio. Estudos Histó- ricos. 2(3) Rio de janeiro.

Santos, M. 1996 A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: Hucitec.

Silva, M. da G. L. da. 2004 Cidades turísticas: identidades e cenários de lazer. São Paulo: Aleph.

Silveira, F. L. A. y Filho, M. F.L.2005 Por uma Antropologia do objeto documental: en- tre a alma nas coisas e a coisificação do objeto. En: Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, (11) 23: 37-50. Disponível em: <http://www6.ufrgs.br/ppgas/ha/index.html >. Acesso em 22 de março de 2010.

Sotratti, M. A. 2010 A requalificação urbana e a mercantilização do pa- trimônio cultural: o caso do Centro Histórico de Sal- vador-Pelourinho. En: PAES, Maria Tereza Duarte; OLIVEIRA, Melissa Ramos da Silva (Orgs.). Geogra- fia, turismo e patrimônio cultural. São Paulo: Anna- blume, 139-155.

Tuan, Y.F. 1980 Topofilia. Um estudo da percepção atitudes e valo- res do meio ambiente. São Paulo: Difel.

Zaoual, H. 2009 Do turismo de massa ao turismo situado: quais as transições? In: Bartholo, R.; Sansolo, D. G.; Bur- sztyn, I. Turismo de base comunitária: diversidade de olhares. Brasília, Letra e Imagem.

Publicado
2011-10-16
Cómo citar
Diniz Carvalho, K., & Netto Simões, M. de L. (2011). Reinterpretando el acervo arquitectónico del barrio de la Playa Grande a través de los lugares de memoria. PASOS Revista De Turismo Y Patrimonio Cultural, 9(04), 633-646. https://doi.org/10.25145/j.pasos.2011.09.060