Percepções da comunidade local em cidades Patrimônio da Humanidade: Diamantina, Minas Gerais, Brasil

  • Taysa Kennia Godinho
  • Karina Toledo Solh
Palabras clave: turismo, comunidade, Patrimônio Cultural, Patrimônio da Humanidade, Desenvolvimento

Resumen

O artigo discute as relações entre patrimônio e o desenvolvimento turístico em cidades declaradas como Patrimônio Mundial a partir da percepção da comunidade local. Este estudo analisou a trajetória de Diamantina, cidade localizada no Estado de Minas Gerais, Brasil, tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN em 1938, e que, em 1999 recebeu o título de Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO. A fim de verificar as relações e o envolvimento da população local com o patrimônio e com o turismo, elaborou-se um formulário abordando questões sobre identidade, coletividade e as relações entre morador, patrimônio e turismo. Como resultados, observaram-se divergências entre o que a comunidade considera como patrimônio a ser legado e o que foi reconhecido por organismos nacionais e internacionais além da necessidade de um profundo trabalho de reconhecimento cultural entre moradores.

 

 

Citas

Alves, Erika de Paula. 2011. Por uma caracterização do turismo em Diamantina: estratégias possíveis de interpretação do patrimônio. Dissertação (Mestrado em Ambiente Construído e Patrimônio Sustentável) – UFMG, BH.

Borges, M.R., Marujo, N. & Serra, J. 2013. Turismo cultural em cidades património mundial: a importância das fontes de informação para visitar a cidade de Évora. Tourism and Hospitality International Journal, 1, 137-156.

Costa, Everaldo Batista da. 2011. Totalidade urbana e totalidade-mundo: as cidades coloniais barrocas face a patrimonialização global. Tese (Doutorado) – Curso de Geografia, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo. 445 f.

Costa, Everaldo Batista da. 2009. A dialética da construção destrutiva na consagração do patrimônio mundial. São Paulo: Humanitas, p. 37-57.

Garcia, Antônio Carlos. 2010. “Tópicos de Estatística Básica”. 1 ed. São Paulo.

Gonçalves, Cristiane Souza. 2010. Experimentações em Diamantina, um estudo sobre a atuação do SPHAN no conjunto urbano tombado 1938-1967. Tese (Doutorado – Área de Concentração: História e Fundamentos da arquitetura e do Urbanismo) - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Instituto Terrazul. 2009. “Diamantina comemora dez anos de título de Patrimônio Cultural da Humanidade”. Disponível em: <http://www.terrazul.org.br/Noticias/interna.php?id=94>. Acesso em: 17 fev. 2016.

Jimura, Takamitsu. 2011. “The impact of world heritage site designation on local communities - A case study of Ogimachi, Shirakawa–mura, Japan”. Tourism Management. 32 v. n. 2, p. 288-296.

Joko-Veltman, Carlos Fernando. 2004. Brasília, patrimônio da humanidade: uma interpretação para o turismo cultural. Especialização em Gestão e Marketing do Turismo. Universidade de Brasília, Brasília, DF, 123 f.

Mattar, F.N. 2001. Pesquisa de Marketing. Edição Compacta. São Paulo, SP: Atlas.

Mendonça, Marcelo Pereira de et al. 2006. “Evolução do mercado de trabalho no turismo em Diamantina: uma contribuição para reflexões de estratégias voltadas para o desenvolvimento local”. Anais... In: XII Seminário sobre a Economia Mineira. Cedeplar, Universidade Federal de Minas Gerais. Diamantina, MG.

Nascimento, Elaine Cordeiro do. 2009. “Vale do Jequitinhonha: Entre a carência social e a riqueza cultural. Revista de Artes e Humanidades, nº 04, Oct.

Omar, Shida Irwana et al. 2013. “George Town, Penang as a World Heritage Site: The Stakeholders’ Perceptions”. Procedia - Social And Behavioral Sciences, p. 88-96, 91 p.

Prefeitura Municipal de Diamantina. 2009. “PLANO DIRETOR PARTICIPATIVO DO MUNICÍPIO DE DIAMANTINA/MG”. Diamantina, MG: Prefeitura de Diamantina.

Prefeitura Municipal de Diamantina. 2012. “Relatório de Gestão Municipal 2009-2012”. Diamantina, MG.

Prefeitura Municipal de Diamantina 2015. Avaliação de Bairros. Diamantina, MG: Secretária de Saúde.

Prefeitura Municipal de Diamantina. 2016. “Alguns monumentos tombados pelo IPHAN e a Vesperata”. Disponível em :. Acesso em 07 Fev de 2016.

Ribeiro, José; Vareiro, Laurentina; Remoaldo, Paula. 2012. The Host-Tourist Interaction in a World Heritage Site: The Case of Guimarães. China-USA Business Review, v. 11, n. 3, p. 283-297.

Ribeiro, W.C. 2005. “Patrimônio da Humanidade, Cultura e Lugar”. Revista Diálogos, 9, n.º1, p. 111-124. [online]. Disponível: . Acesso em 07 de Fev 2016.

Schluter, Regina G. 2003. Metodologia da pesquisa em Turismo e hotelaria. São Paulo, SP: Aleph. (Série Turismo). Tradução de: Tereza Jardini.

Scifoni, Simone. 2004. “A Unesco e os patrimônios da humanidade: valoração no contexto das relações internacionais”. Anais... In: II Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ambiente e Sociedade, Indaiatuba, SP.

Silva, Fernando Fernandes. 2003. “As cidades brasileiras e o patrimônio cultural da humanidadSilva, Georgia Patrícia da. 2013. Título de patrimônio cultural da humanidade: um selo de garantia ou uma promessa fantasiosa?. VI Jornada Internacional de Políticas Públicas.

Silva, Marcos Noé Pedro Da. Regra de três simples. Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/matematica/regra- -tres-simples.htm>. Acesso em 25 de maio de 2016.

Silveira, Carlos Eduardo; Medaglia, Juliana (Org.). 2014. Pesquisa de demanda real de Diamantina e região: características de viagem, motivações, percepções e expectativas. Diamantina, MG: UFVJM.

Silveira, Carlos Eduardo; Medaglia, Juliana; Souza Junior, Ronaldo Flaviano de. 2012. “Caminhos do turismo em Diamantina: a relação com a origem mineradora, a cultura e o título de patrimônio cultural da humanidade”. Revista Vozes dos Vales: Publicações Acadêmicas, Vale do Jequitinhonha, n. 1, p.1-21.

Solha, Karina.Toledo. 2004. Órgãos públicos estaduais e o desenvolvimento do turismo no Brasil. Tese (Doutorado em Ciências da Comunicação). Escola de Comunicações e Artes. Universidade de São Paulo, São Paulo.

Soares, Geralda Chaves. 2000. “Vale do Jequitinhonha: um vale de muitas culturas”. Cadernos de História, Belo Horizonte, v. 5, n. 6, p. 17-22.

Souza, Maria Luar Mendes de; Gomes, Mariana Elias; Silva, Tatiana Amaral. 2007. “Limites e potencialidades na atuação dos Conselhos Municipais de Turismo: Estudo de Caso nos municípios de Diamantina, MG e Bonito, MS”. [S.L.]: Revista Virtual Partes.

Svels, Kristina. World Heritage, 2015. Tourism and Community Involvement: A Comparative Study of the High Coast (Sweden) and Kvarken Archipelago (Finland). Scandinavian Journal of Hospitality and Tourism, v, 15, issue 1-2, p. 183-201.Disponível em: <http://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/15022250.2015.1009708?j ournalCode=sjht20>. Acesso em: 14 jan.

TRIPADIVISIOR BRASIL. 2016. Foto do Casarão do Fórum Diamantina. Disponível em: <https://www.tripadvisor.com.br/Attraction_ Review-g303380-d2389987-Reviews-Casarao_do_Forum-Diamantina_State_of_Minas_Gerais. html>. Acesso em 07 Fev. de 2016.

UFMG - Universidade Federal de Minas Gerais. 2016. “Vale do Jequitinhonha”. Belo Horizonte, MG: Portal Vale do Jequitinhonha. Disponível em: <https://www2.ufmg.br/polojequitinhonha/O-Vale/Sobre-o-Vale>. Acesso em: 27 jul. 2016.

Widmer, Glória Maria. 2007. O título de patrimônio da humanidade e seus efeitos sobre o turismo em Fernando de Noronha. Tese (Doutorado em Ciências da Comunicação) – Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo.e”. São Paulo, SP: EDUSP – Editora da Universidade de São Paulo.

Publicado
2018-01-19
Cómo citar
Godinho, T., & Toledo Solh, K. (2018). Percepções da comunidade local em cidades Patrimônio da Humanidade: Diamantina, Minas Gerais, Brasil. PASOS Revista De Turismo Y Patrimonio Cultural, 16(1), 213-231. https://doi.org/10.25145/j.pasos.2018.16.014
Sección
Artículos